Zero exige Avaliação Ambiental Estratégica do novo aeroporto que inclua alternativas

50
visualizações

A associação ambientalista Zero reiterou esta quarta-feira a necessidade de uma Avaliação Ambiental Estratégica sobre a instalação de um novo aeroporto no Montijo e as obras no aeroporto de Lisboa, afirmando que é importante estudar alternativas, incluindo a não construção.

- Pub -

“Não estamos contra, nem a favor, precisamos é de mais elementos de base que fundamentem a decisão”, declarou a vice-presidente da Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável, Carla Graça, considerando que a Avaliação de Impacte Ambiental “não dá resposta” a um conjunto muito vasto de questões que são estudadas na Avaliação Ambiental Estratégica.

No âmbito de uma audição parlamentar na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, a representante da associação Zero disse que “a opção Montijo, efectivamente, nunca foi objecto de uma Avaliação Ambiental Estratégica, nem sequer foi considerada, previamente, em qualquer documento oficial”, pelo que surge “de paraquedas”, em 2017, no memorando de entendimento assinado entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal.

Neste sentido, Carla Graça defende que o plano de instalação de um novo aeroporto no Montijo e de expansão do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, exige uma Avaliação Ambiental Estratégica, conforme obriga a legislação europeia e nacional, procedimento que, depois de um parecer favorável, determina a realização de um conjunto de Avaliações de Impacte Ambiental, nomeadamente na avifauna e no ruído.

Questionada pelos deputados sobre as alternativas à opção Montijo para o novo aeroporto, a vice-presidente da Zero reforçou que “há imensas alternativas”, em que se inclui a não construção de um novo aeroporto, assim como a instalação em Alcochete, Beja, Tancos, Monte Real e Alverca.

Ressalvando que não é contra a opção Montijo, Carla Graça exigiu mais informação sobre a decisão, criticando a opacidade em todo o processo, sobretudo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Lusa

Comentários

- Pub -