Lista do PSD por Setúbal foi proposta de Nuno Carvalho à nacional [actualizada]

101
visualizações

A lista dos candidatos do PSD a deputados à Assembleia da República pelo círculo de Setúbal nasceu de uma proposta apresentada por Nuno Carvalho à direcção nacional do partido.

- Pub -

O cabeça-de-lista pelo distrito e vereador na Câmara Municipal de Setúbal havia negado qualquer responsabilidade na elaboração do elenco, mas um mail – a que o O SETUBALENSE teve acesso – prova que a lista aprovada pelo Conselho Nacional, em Guimarães, na passada terça-feira, 30, foi antes [leia-se, na véspera, 29, apesar de a votação ter ocorrido na madrugada de 31] recomendada por Nuno Carvalho ao secretário-geral do PSD, José Silvano.

A lista enviada pelo autarca de Setúbal ao secretário-geral do partido sugeria os nomes e lugares dos 18 candidatos efectivos e quatro suplentes que [na madrugada de quarta-feira] acabaram por ser apresentados, sem alteração e pela mesmíssima ordem, no Conselho Nacional, merecendo aprovação.

A composição do elenco enviado por Nuno Carvalho já deixava de fora o nome de João Afonso, vereador na Câmara do Montijo, que constava nas escolhas anteriormente aprovadas pela distrital, ao mesmo tempo que indicava Fernanda Velez e Bruno Vasconcelos para os terceiro e quarto lugares, além de incluir o deputado e líder da distrital, Bruno Vitorino, no 18.° posto (último lugar dos efectivos).

Na última quarta-feira, em declarações a o O SETUBALENSE, Nuno Carvalho disse não encontrar qualquer explicação para a exclusão de João Afonso da lista e que não tinha tido interferência no processo das escolhas.

“Os nomes foram aprovados pela distrital e a lista, por proposta da direcção nacional, foi aprovada pelo Conselho Nacional. Foi fruto de um processo entre a distrital e a nacional do partido. Não tenho legitimidade para colocar ou tirar nomes. Dizer que sou responsável pela elaboração da lista é uma mentira”, afirmou então o autarca de Setúbal, admitindo que apenas deu opinião positiva sobre todos os nomes que a distrital aprovara.

Porém, o mail que Nuno Carvalho enviou ao secretário-geral do PSD contraria essa versão dos acontecimentos.

Recorde-se que a direcção nacional do partido havia avocado a elaboração da lista de Setúbal, depois de um braço-de-ferro com a distrital, quando a estrutura regional não aceitou o nome de Negrão como número dois, exigindo que o lugar fosse ocupado por Maria Luís Albuquerque. A nacional viria então a delegar em Nuno Carvalho e Fernando Negrão, líder parlamentar do PSD, o processo de organização da lista pelo distrito.

Em 2015, o PSD concorreu às legislativas em coligação com o CDS-PP, conseguindo eleger quatro deputados por este círculo a juntar a mais um dos centristas (Nuno Magalhães).

Confira de seguida a lista enviada por Nuno Carvalho e apresentada e aprovada no Conselho Nacional.

Efectivos:

  1. Nuno Carvalho
  2. Fernando Negrão
  3. Fernanda Velez
  4. Bruno Vasconcelos
  5. Tiago Santos
  6. Lina Gonzalez
  7. Paulo Ribeiro
  8. Sónia dos Reis
  9. Andreia Patrícia Sousa
  10. João Miguel da Silva
  11. Teresa de Fátima Lourenço
  12. Maria Teresa Branco
  13. Bernardo Baião
  14. Teresa Veiga da Costa
  15. Carlos Vitorino
  16. Jaime Puna
  17. Maria da Conceição Gonçalves
  18. Bruno Vitorino (o social-democrata acabou por sair da lista)

Suplentes:

  1. Paulo Sabino
  2. Helena Prado
  3. Fernando Soares
  4. Maria Paula Cândido

Comentários

- Pub -