Jovem setubalense morre no hospital depois de atropelamento em Palmela

244
visualizações

Telmo Tatá, de 24 anos, foi colhido no meio da estrada. Residia no Bairro do Liceu

 

- Pub -

Telmo Tatá, setubalense de 24 anos, não resistiu aos ferimentos causados por um atropelamento na madrugada de quarta-feira em Palmela e faleceu na quinta-feira, no Hospital Garcia de Orta. Na noite do atropelamento, último dia da Festa das Vindimas, o jovem setubalense tinha ido divertir-se a Palmela na companhia de amigos. Telmo era tido pelo seu grupo mais chegado como divertido, com uma alegria contagiante e gostava de conviver em festas como a de Palmela.

Cerca das quatro horas da madrugada e apenas na companhia de uma só amiga, os dois regressaram a pé a Setúbal pela Estrada Nacional 252. Este trajeto de dez quilómetros é feito recorrentemente a pé por muitos jovens setubalenses durante as Festas das Vindimas e os dois eram só mais uns a fazê-lo. Telmo e a sua amiga passaram a pé a rotunda da Volta da Pedra e já se encontravam em Aires quando se deu o acidente. O jovem foi colhido por um carro em plena estrada e o embate foi de tal forma violento que a vítima acabou por ser projetada para dentro da viatura pelo para brisas. Às 4.55 horas, é dado o alerta ao 112 e os bombeiros voluntários de Palmela dirigem-se ao local do atropelamento, encontrando Telmo inconsciente e com múltiplos traumatismos na cabeça e coluna cervical. Os elementos da corporação palmelense retiraram a vítima de dentro do carro, inverteram a paragem cardio-respiratória e transportaram-na para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde foi entubado e internado. O jovem acabou por não resistir aos ferimentos e faleceu na tarde de quinta-feira. Ao que o foi possível apurar junto de fonte da GNR, Telmo foi colhido dentro da estrada por uma viatura que circulava no mesmo sentido, Palmela-Setúbal. O condutor, homem que seguia sozinho, foi no local submetido ao teste de álcool pelas autoridades, mas não acusou taxa superior à legal. Ainda assim, realizou testes ao sangue no hospital, mas os resultados ainda não são conhecidos.

As autoridades vão agora investigar as causas do atropelamento, que terá ocorrido fora da passadeira. Residente em Setúbal, sem mulher nem filhos, Telmo Tátá era tido como alegre e sempre com um sorriso na cara junto dos amigos. Ao que foi possível apurar, tinha-se mudado recentemente para Inglaterra, onde tinha encontrado trabalho e tinha regressado a Setúbal há poucas semanas para gozar férias antes de regressar a solo inglês. Nascido e criado em Setúbal, viveu no Bairro do Liceu e frequentou na juventude a Escola Secundária do Bocage.

Comentários

- Pub -