Grupo alemão interessado em criar parque empresarial no Seixalinho

568
visualizações

O presidente da Câmara confirma contactos das marcas alemãs Siemens e Bosch e adianta que a Google e a Amazon são também outras hipóteses que começam a aparecer com a vinda do aeroporto para a BA6

 

- Pub -

Um grupo de investimento que está associado a praticamente todos os aeroportos da Alemanha está interessado na criação de um parque empresarial, ligado às áreas de tecnologia e serviços, que a Câmara Municipal do Montijo tem a expectativa de poder ver concretizado na zona do Seixalinho, numa perspectiva de apoio directo ao novo aeroporto a construir na Base Aérea n.º 6 (BA6). A revelação foi feita por Nuno Canta a O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO, com o presidente da autarquia a admitir que o município já foi sondado nesse sentido e que até já existiram contactos exploratórios de algumas conceituadas marcas germânicas sobre a possibilidade de se instalarem na cidade.

“Estamos a falar de investimento ao nível empresarial, que tem muito a ver com as novas tecnologias, como por exemplo a Siemens e a Bosch”, afirmou o autarca socialista, adiantando que também “a Google e outro tipo de hipóteses começam a aparecer, embora um pouco difusas”.

“Ainda não são situações concretas, mas percebemos que aparecem de algum modo com interesses no Montijo. Com o aeroporto vamos tornar-nos uma centralidade do ponto de vista de atractividade para este tipo de empresas, não haja a menor dúvida. Vamos passar a ser um ‘hub’, um ponto de encontro, para muitas empresas”, garantiu, admitindo que a instalação deste tipo de empresas não se enquadraria no parque industrial do Pau Queimado, mais vocacionado para a área da logística.

“A nossa ideia é que a parte do Seixalinho terá de ser transformada nessa área de serviços. Toda aquela área a seguir à empresa Carmonti, numa zona que precisa de ser reconvertida e está espelhada numa proposta de revisão do PDM. Este será um parque muito ligado à tecnologia e muito de serviço de apoio ao próprio aeroporto, porque vai ser necessário”, frisou.

“Estamos a falar de um grupo alemão que tem muito interesse nisso e que está a tratar de poder concretizar esse investimento. Tem falado connosco, mas não há ainda nada de concreto, apenas questões difusas. É o principal grupo de investimento nos aeroportos da Alemanha”, desvendou Nuno Canta, reforçando: “Todos os aeroportos da Alemanha têm este grupo associado, com este tipo de indústrias e serviços. Também se coloca agora a questão da Amazon, que quer vir para a região de Lisboa.”

Reconverter Seixalinho e acessibilidade ao Barreiro

A expectativa no investimento é alta e o autarca defende a localização, salientando ao mesmo tempo a necessidade de planeamento para toda uma zona na qual se encontra instalado o terminal fluvial da Transtejo.

“A cidade do Montijo tem de planear todo o Seixalinho, no ponto de vista de espaço de apoio directo ao aeroporto em termos de funções e acho que mesmo assim isso não chegará”, antecipa, considerando que a futura infra-estrutura aeroportuária na BA6 “terá condições até de ser alargada”. Até porque terá condições para isso, já que ficará implantado “numa área que é quase três vezes a área do aeroporto de Lisboa”.

Nuno Canta lembra ainda a importância de poder ser garantida uma outra acessibilidade ao concelho vizinho do Barreiro. “Vamos precisar de uma nova ligação ao Barreiro, que tenho defendido muito que venha a ser feita em túnel e que outras pessoas defendem que deve ser feita em ponte. É extremamente importante porque existe daquele lado o parque industrial da Baía do Tejo, que é do Estado e que tem de ser potenciado. Isto é que faz a tal coesão territorial”, observou.

Recorde-se que o Governo tem plasmado no Plano Nacional de Investimentos 2030 a previsão de um investimento de 200 milhões de euros, com recurso a iniciativa privada, para construção de novas ligações rodoviárias no Arco Ribeirinho Sul, contemplando desde logo duas pontes: Barreiro-Seixal e Barreiro-Montijo, com prazo de execução previsto arrancar em 2021 e conclusão estimada para 2026.

Novo hotel na zona do Parque Municipal e Retail Park com Conforama garantida

B&B Hotel em Dusseldorf, Alemanha

Já anunciada está a construção de um novo hotel, de três estrelas, que irá nascer num edifício localizado no cruzamento entre a Avenida João XXIII e a Avenida D. Afonso Henriques, frente ao Parque Municipal Carlos Hidalgo Gomes de Loureiro, zona onde já existe uma outra unidade hoteleira. Trata-se de um equipamento da cadeia hoteleira francesa B&B Hotels que deverá estar de pé até final de 2020 e, segundo Nuno Canta, o investimento – que rondará 1 milhão de euros – pode “já ser considerado como primeiro efeito da vinda do novo aeroporto para o Montijo”. A B&B Hotels tem hotéis em Alemanha, Itália, Marrocos, Polónia e Portugal, apresentando mais de 500 unidades espalhadas por toda a Europa.

Paralelamente, o Retail Park, localizado junto ao Forum Montijo e que nunca chegou a abrir portas, vai passar a ser ocupado pela Conforama, loja de móveis, decoração e electrodomésticos, e possivelmente também pela Leroy Merlin. “A instalação da Conforama está garantida e a Leroy Merlin também me parece que ficará”, confirmou o autarca.

Comentários

- Pub -