Autarca vai pedir substituição de Nuno Carvalho e reformulação da lista do PSD por Setúbal

181
visualizações

A polémica em torno do processo da escolha dos candidatos do PSD a deputados à Assembleia da República pode reacender-se em Setúbal nos próximos dias, quando ao gabinete de José Silvano, secretário-geral do partido, chegar uma missiva a apelar à reformulação do elenco.

- Pub -

João Afonso disse a o O SETUBALENSE que irá enviar a José Silvano, na qualidade de vereador eleito pelo PSD na Câmara Municipal do Montijo, “uma carta aberta” a solicitar à estrutura nacional do partido “a substituição do cabeça-de-lista [Nuno Carvalho] e a reestruturação da lista” por Setúbal.
“Ainda vamos a tempo”, afirma o autarca montijense, considerando que o processo de escolhas foi “inqualificável”.

“O dr. Negrão que passe para cabeça-de-lista e reestruture-se o resto da lista”, sugere João Afonso, justificando: “Não podemos ter um processo kafkiano na base da escolha da lista. O PSD tem de dar o exemplo”.

“No Montijo, temos feito um trabalho de responsabilização, dignificação, de exigir ética à gestão PS [da Câmara], o que nos obriga a dar o exemplo dentro da nossa casa”, reforça, juntando: “Não podemos ficar calados. Isto não é digno de um partido de governo. Envergonha-nos a todos”. O social-democrata considera ainda que Nuno Carvalho “não tem condições para ser cabeça-de-lista”.

Bruno Vitorino, presidente da distrital de Setúbal do PSD, prefere não comentar a iniciativa do autarca do Montijo e remete declarações para 7 de Outubro, dia seguinte às eleições. Até lá, o líder da distrital apela, porém, a “todas as partes” para que se contenham, de forma a que o partido “não sofra” mais.

Nuno Carvalho, cabeça-de-lista visado por João  Afonso, recusa-se a alimentar polémica. “Não estou disponível para mais comentários sobre a lista. Esse é um assunto que está encerrado”, observa, colocando uma pedra sobre o tema.

Recorde-se que o conturbado processo da escolha da lista de candidatos por Setúbal acabou por ser avocado pela nacional, que depois delegou em Nuno Carvalho e Fernando Negrão (número dois da lista) a composição do elenco que viria a ser aprovado pelo Conselho Nacional.

Nuno Carvalho, sublinhe-se, foi escolha de Rui Rio, presidente do partido, e o envolvimento da direcção nacional no processo foi total, pelo que o apelo que João Afonso está a preparar para fazer chegar ao secretário-geral deverá ter efeitos práticos… nulos. “Vamos ver…”, diz o montijense.

Já a polémica, todavia, poderá ser reacendida, uma vez que o partido saiu bastante dividido de todo o processo.

Comentários

- Pub -