António Costa ao som de “125 Azul” no Sol da Caparica

127
visualizações
António Costa e a mulher estiveram no festival O Sol da Caparica para ouvir Luís Represas

Esperava-se lotação esgotada no festival O Sol da Caparica e assim terá sido. Esta sexta-feira teve do melhor em palco, boas surpresas foram muitas e nem António Costa e a mulher ficaram em casa

- Pub -

 

 

O segundo dia do festival O Sol da Caparica teve um espectador inesperado. Luís Represas subiu ao palco às nove da noite e, entre o público, estava o primeiro-ministro, António Costa, e a mulher, Fernanda Tadeu. Acompanhado por autarcas socialistas, que apenas souberam da visita ao fim da tarde, o casal cantou, dançou, fotografou com telemóvel, aplaudiu e acompanhou o cantor de “125 Azul” na performance com o público.

“É sempre bom relembrar”, foram as únicas palavras de António Costa a O SETUBALENSE-DIÁRIO DA REGIÃO no fim do concerto, e mais não conseguiu dizer porque a cada passo para sair do Parque Urbano da Costa de Caparica era solicitado para selfies. De calças de ganga e sempre sorridente, lá seguiu entre os muitos que encheram por completo o recinto.

“Disseram-me que António Costa e a mulher estiveram cá”, dizia Luís Represas que fez questão em separar o homem, do primeiro-ministro. “Pessoalmente, é meu amigo desde há muito tempo. Como cidadão, António Costa mostra que gosta de assistir às grandes manifestações culturais, e este é um festival fantástico. Como primeiro-ministro, revela que está sempre atento”, comentava o cantor.

Depois de Luísa Sobral, Luís Represas vincou que a paixão pela língua lusófona está cada vez mais presente. O ex-Trovante, passou por temas como “Saudade”, revisitou outros que ficaram no ouvido de muitos e foi acompanhado pelo público.

Depois o palco era de Carlão já com um cheirinho ao anunciado regresso dos Da Weasel. Para o rapper de Almada foi um regresso a O Sol da Caparica mas agora ao som do seu último álbum, lançado em Setembro de 2018, “Entretenimento”, com destaque para o single “Bandida” que marca o regresso com o irmão João Nobre.

Numa simbiose perfeita com o público, Carlão manteve sempre o frenesim de correr o palco de ponta a ponta, chamou pelas freguesias do concelho de Almada e terminou a actuação acompanhado pelos jovens do Porbatuka. Um grupo de percussão de Almada que elevou o entusiasmo no recinto.

Minutos depois o festival reservava nova surpresa. Se alguém disser que o fado não se dança, é porque não esteve esta sexta-feira no O Sol da Caparica. Mariza entrou em palco e surpreendeu o público logo ao primeiro minuto com um vibrante grito “boa noite Costa da Caparica” e foi assim que marcou vários momentos de um concerto que pode bem ser considerado o melhor da noite. Mariza desafiou o público recreou temas como “Oiça lá ó senhor vinho” e, sempre vibrante, terminou com o inesquecível “Ó gente da minha terra”.

Para sexta-feira eram esperadas 30 mil pessoas, e o recinto terá mesmo esgotado. O certo é que quem lá esteve vai ficar com a noite na memória. A temperatura baixou e o ventou levantou-se frio, mas muitos nem terão dado por isso quando Seu Jorge subiu ao palco. O cantor brasileiro começou com “Amiga da minha mulher”, revisitou temas brasileiros clássicos e levou o espectáculo até às duas da manhã.

Hoje, sábado, os palcos do festival recebem Ludmilla, Gabriel O Pensador, Richie Campbell, Mishlawi, Plutónio, Truekey, Boss AC, Capitão Fausto, Força Suprema, Karetus, RIOT e Supa Squad e dos humoristas Guilherme Duarte, Vasco Correia e Ricardo Cardoso.

Comentários

- Pub -