Chumbita Nunes diz que sócios do Vitória merecem “transparência e contas certas”

99
visualizações

Chumbita Nunes, candidato à presidência do Vitória FC, disse hoje na apresentação do programa da sua lista que os adeptos do clube merecem “transparência e contas certas”. No dia seguinte a ter formalizado a sua candidatura, o advogado que foi presidente do clube entre 2003 e 2006, falou das suas prioridades caso seja eleito a 17 de Janeiro.

- Pub -

“Os vitorianos merecem transparência, honestidade, contas certas e grandes vitórias. Queremos também tentar construir um centro de estágio ou academia, renovar o estádio com vista a um futuro”, disse aos jornalistas após a apresentação dos nomes que compõem a sua lista num hotel do centro da cidade de Setúbal.

Questionado sobre se a realização de uma auditoria, ideia já defendida por outros candidatos, é a forma de saber qual o estado do clube, Chumbita Nunes, de 65 anos de idade, remete a decisão para mais tarde. “Poderá ser essa a forma. Em assembleia geral foi aprovado um modelo de auditoria e tem de se saber se é possível fazê-la naqueles termos ou noutros. Vamos ver quando chegarmos. Se tiver de ser feita será feita”.

O candidato, sócio do clube há 25 anos, criticou a forma como a demissão do vice-presidente Paulo Gomes, que é agora candidato às eleições, antecipou as eleições um par de meses. “Estou preocupado com o que se está a passar. Nunca pensei que houvesse a demissão da forma como houve. A demissão foi um golpe palaciano. Já estavam previstas eleições e o presidente da AG [Cardoso Ferreira] já tinha dito que iria marcar eleições para Fevereiro ou Março. Não faz sentido não terem deixado o mandato chegar até ao fim”.

Sobre o facto de existirem já quatro candidatos assumidos e de Vítor Hugo Valente, actual presidente, se perfilar como o quinto a fazê-lo, Chumbita Nunes defende que três delas são uma continuação da anterior direcção. “São cinco, mas é preciso ver que três vêm do mesmo lado. É o actual presidente, é o dissidente da direcção Pedro Gaiveo Luzio e Paulo Gomes que também deixou a direcção e agora concorre. Em bom rigor, só há dois candidatos porque os outros três vêm todos do mesmo lado”.

Apesar de o seu mandato entre 2003 e 2006 ter ficado marcada por problemas relacionados com salários em atraso, o advogado, que falou perante uma plateia de cerca de 100 pessoas que lotaram a sala, garante não temer que tal possa prejudicar a sua lista. “Não temo nada. Na altura expliquei tudo. Curiosamente, nunca nenhum ato de gestão no meu mandato foi posto em causa. Nunca fui parar a nenhum tribunal, nem ninguém disse que eu roubei. Foram outros tempos e cabe aos sócios decidirem agora quem deve ser o melhor presidente para o Vitória e a lista que lhes dá mais garantias”.

Aos jornalistas, o candidato frisou ainda que ao contrário do que acontece habitualmente com os antigos presidentes é o único que continua a marcar presença nas assembleias gerais do Vitória. “Estou sempre presente no que é o Vitória. Nunca falhei uma assembleia geral. De todos os presidentes que passaram pelo clube o único que ainda lá vai sou eu”.

Chumbita Nunes, que tem o empresário Fernando Almeida como mandatário, propõe como candidatos a vice-presidentes Fernando Belo, José Manuel dos Santos, José Alves, Rui Mendes e Paulo Oliveira. A lista para a Mesa da Assembleia Geral é liderada por Francisco Alves Rito e a lista do Conselho Fiscal e Disciplinar por João Silveira Piedade.

Comentários

- Pub -