Comissões saúde e autarquias hoje em protesto à porta do HGO

34
visualizações
Vigília marcada para hoje contesta solução da ministra da Saúde

A partir de hoje, a urgência de pediatria do Hospital de Almada encerra ente a meia-noite e as 8 da manhã. As comissões de utentes de saúde marcaram uma vigília de protesto, já esta segunda-feira, e são acompanhadas pelas câmaras de Almada e Seixal

- Pub -

 

Para hoje, está marcada uma vigília à porta do Hospital Garcia de Orta (HGO). Começa às 20h00 e é organizada pelas comissões de utentes da saúde dos concelhos de Almada e Seixal na sequência da decisão do Ministério da Saúde de encerrar as urgências pediátricas desta unidade a partir, precisamente, desta segunda-feira, todas as noites entre as 20h00 e as 08h00, isto pelo menos durante meio ano.

Na quinta-feira já se sabia que a CGTP estava alinhada com este protesto, e na sexta-feira foi o presidente da Câmara do Seixal a associar-se, assim como a presidente da Câmara de Almada.

“Foi com indignação que se tomou conhecimento da solução apresentada pela Ministra da Saúde, que passa pelo prolongamento do horário de atendimento de centros de saúde do Seixal e Almada até às 24 horas”, nos dias de semana, refere o autarca do Seixal.

Para Joaquim Santos, “o atendimento nos equipamentos de cuidados de saúde primários não substituem um serviço de urgência de especialidade num hospital de referência”, por isso “não pode a Ministra da Saúde apresentar esta solução a uma população que há anos que está a ser prejudicada com falta de acessos dignos a cuidados de saúde”, diz através de comunicado da autarquia

O desagrado do autarca comunista passa por Junho deste ano, quando “foi informado pela Secretária de Estado da Saúde que estariam a ser tomadas medidas urgentes para ultrapassar os constrangimentos existentes”. Porém, passados cinco meses, “nada foi feito, tendo-se a situação agravado, como se constata agora pelo alargamento do encerramento da urgência pediátrica também aos dias de semana”.

 

Solução de Marta Temido não satisfaz Inês de Medeiros

 

Na última quinta-feira, a ministra Marta Temido reuniu com a presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros, e com as comissões de utentes de Saúde de Almada e Seixal. Antes do encontro, chegou a esperar-se uma medida iminente para evitar o encerramento nocturno das urgências pediátricas do HGO, mas logo depois, a presidente da Câmara de Almada (PS) afirmava que não saiu descansada da reunião porque “não havia solução a curto prazo”.

No site da Câmara de Almada a autarca refere que “compreende os constrangimentos inerentes às obrigações de contratação pública, tomou nota dos esforços feitos pelo Ministério da Saúde para a contratação urgente de médicos especialistas em Pediatria”, mas reitera que “importa encontrar uma solução para este período de contingência”. Através do site da autarquia fica-se ainda a saber que “será agendada uma nova reunião em Dezembro com o propósito de aferir os avanços na resolução deste problema”.

Ainda na quinta-feira, a ministra Marta Temido dizia que “face às dificuldades para fazer a escala [de profissionais de saúde no HGO]”, o encerramento das urgências e compensação com os dois centros de saúde, “é a solução que, tecnicamente, foi estudada como a mais adequada e estável”. A opção é alargar o horário das unidades de saúde da Amora, no Seixal, e da Rainha Dona Leonor, em Almada, para dar resposta ao encerramento da urgência pediátrica do HGO.

Assim, o horário das unidades de saúde de Amora, no Seixal, e da Rainha Dona Leonor, em Almada, vão passar a funcionar das 08h00 às 00h00 nos dias de semana, e das 10h00 às 22h00, no fim-de-semana.

 

Utentes de Saúde de Almada querem negociação com sindicatos médicos

 

Fora das horas de funcionamento destas duas unidades, os utentes devem utilizar a Linha Saúde 24, através do 808 24 24 24, para que, em caso de situações urgentes, os doentes sejam socorridos pelo Instituto Nacional de Emergência Médica, que deve assegurar o encaminhamento para outros hospitais.

Para Luísa Ramos, da comissão de utentes de Saúde de Almada, esta alternativa proposta pela ministra não é funcional, por isso a vigília que já estava marcada antes da reunião com Marta Temido “mantêm-se”. Diz este elemento da comissão que com o encerramento das urgências de Pediatria no HGO, “os centros de saúde deveriam estar abertos até às 8h00”, ou seja, até quando reabrem as urgências no hospital.

Por outro lado, considera que o Ministério da Saúde tem de “negociar alternativas com os sindicatos médicos”, e justifica: “a população não pode ficar privada de acesso ao direito de saúde por inoperância dos governos”.

Comentários

- Pub -