Moinho de Maré Pequeno regressa como ex-líbris da cidade

123
visualizações

Um investimento de 400 mil euros e mais de um ano de obras resultaram na requalificação total do Moinho de Maré Pequeno e da área envolvente. O espaço representa uma noa vida para a cidade, em especial para os moradores da Rua Miguel Pais

 

- Pub -

 

 

O Moinho de Maré Pequeno – Centro Interpretativo já abriu portas ao público. O processo de requalificação deste ex-líbris do concelho demorou mais de um ano e comportou um investimento de 400 mil euros por parte da autarquia.

A inauguração do novo moinho decorreu a 28 de Junho, dia em que se assinalaram os 35 anos da elevação de Barreiro a cidade, com a presença do presidente da Câmara Municipal do Barreiro e executivo. Rui Braga, vereador responsável pelo Departamento de o Planeamento, Gestão Territorial e Equipamentos, agradeceu ao grupo de trabalho que contribuiu para erguer o moinho, destacando a “dedicação, empenho e genuíno entusiasmo de todos os que participaram no projecto, desde a equipa de obra até à equipa que montou os conteúdos”.

O renovado Moinho de Maré Pequeno conta agora “a história dos moinhos do concelho, desde Alburrica a Coina” explica Rui Braga. Mas, para o vereador, o posicionamento deste equipamento vai além da história. Representa “um olhar diferente sobre a cidade”, na requalificação de um conjunto que inclui também os espaços exteriores envolventes.

Para Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, a requalificação do espaço reflecte precisamente, “a história dos barreirenses e uma vitória para os moradores da Rua Miguel Pais [uma das principais vias da cidade], que há muito esperavam um novo espaço, requalificado, depois de verem, durante gerações a degradação do Largo do Moinho Pequeno. Um local onde os actos de vandalismo eram recorrentes e de onde foi levado o antigo chafariz, do qual até hoje se desconhece o paradeiro”.

“Um espaço muito versátil com um enquadramento magnífico, que servirá não só para narrar os factos da indústria moageira do concelho, como irá permitir a realização de eventos, momentos musicais ou lançamentos de livros”, revela o autarca.

Sobre a concepção da obra e conteúdos que marcam um interior totalmente forrado a cortiça, do tecto ao soalho, Frederico Rosa destaca um edifício “reerguido na forma original do moinho pequeno”, com especial destaque para os contributos do historiador António Camarão, e do arquivista Fernando Mota.

 

Barreiro lugar de moinhos

 

O concelho do Barreiro foi desde a Idade Média um lugar privilegiado para a edificação de moinhos, hidráulicos e eólicos. A estrutura mais antiga data do século XV e, as mais recentes, com caraterísticas eólicas, datam do século XIX. No total, há conhecimento de 12 moinhos que, em tempos, se dispersavam entre as localidades de Lavradio e Coina.

É esta história moageira de cinco séculos que barreirenses e visitantes de outros concelhos podem encontrar no novo Moinho de Maré Pequeno.

 

 

Moinho de Maré Pequeno de portas abertas

 

Localização: Largo do Moinho Pequeno

Visitas: Gratuitas

Horário: terça-feira a sexta-feira, das 10h30 às 17h30; sábados e domingos das 14h00 às 19h30. O Moinho de Maré Pequeno – Centro Interpretativo encerra às segundas-feiras e nos dias 25 de Dezembro e 1 de Janeiro.

Comentários

- Pub -