Ribeira da Salgueirinha avança para requalificação

69
visualizações

Apesar da população ainda duvidar, está aí a regularização do primeiro troço de 5,5 quilómetros. Empreitada de 2,5 milhões passa por baixo da EN252 e de duas linhas férreas

 

- Pub -

 

A regularização da Ribeira da Salgueirinha vai finalmente avançar, com o arranque da obra assinalado na quinta-feira, numa cerimónia que juntou centenas de pessoas e que trouxe ao Pinhal Novo o secretário de Estado do Ambiente.

“Não tínhamos a ideia de quanto importante era esta requalificação” começou por referir João Ataíde, em resposta à intervenção comovida do presidente da Câmara de Palmela. Álvaro Amaro apresentou a colocação da primeira pedra como “o final de uma batalha” de uma “guerra que ainda tem muitos dias de luta pela frente”, referindo ao prazo de execução da empreitada, que é de 510 dias.

O Secretário de Estado do Ambiente destacou “a intervenção de extrema relevância”, e sublinhou “a exigência do Fundo Ambiental na verificação dos seus propósitos e de certeza” para concluir que se a obra foi aprovada é por revelar “mérito”.

O governante manifestou a satisfação por “ter o privilégio de vir ao lançamento de primeira pedra na semana muito gratificante do Dia Mundial do Ambiente” e terminou com um apelo à população para “ter muita paciência com as obras que irão decorrer por mais de 500 dias”.

 

 

 

 

Álvaro Amaro não escondeu a emoção num momento “marcante e simbólico da nossa vida local e depois de quatro décadas de problemas, muita luta e resiliência conseguimos concretizar o sonho antigo”. O edil de Palmela anunciou que a Câmara “está já a trabalhar na criação de condições para a utilização de um corredor verde que se estende ao longo da Ribeira, transformando-o num grande Parque Verde Urbano de Pinhal Novo, para usufruto da população”.

 

Vala transforma-se em Ribeira

 

A antiga vala, que causava problemas de inundação e recebia despejos vai transformar-se em Ribeira e terá uma primeira intervenção de 5,5 quilómetros, entre a zona da Zona Industrial do Vale do Alecrim e a Barragem da Brejoeira, numa empreitada de 2,5 milhões de euros. Com outros custos, como projectos e expropriações, o investimento atinge um total de 2,9 milhões de euros, comparticipados em 85 por cento pelo Fundo Ambiental, da Agência Portuguesa do Ambiente e o restante valor financiado pelo Município de Palmela.

Nesta primeira intervenção destacam-se como objectivos, prevenir inundações na vila de Pinhal Novo e repor as condições naturais de drenagem pluvial para potenciar a requalificação da paisagem. As obras incluem a substituição de 11 atravessamentos hidráulicos, dois deles sob a linha férrea, uma passagem hidráulica sob a EN 252 e dois troços cobertos, além da limpeza e regularização do percurso da ribeira.

 

 

A obra, bastante complexa, envolveu a realização de concursos públicos que ficaram desertos, tendo a autarquia de Palmela aprovado em sessão de Câmara a realização da empreitada por ajuste directo em Novembro do ano passado. Depois de longos meses de espera pelo visto do Tribunal de Contas, este chegou no final de Maio e a intervenção vai ser uma realidade depois de 40 anos de espera.

Comentários

- Pub -