Soflusa sem paz social à vista

53
visualizações

Mestres da Soflusa regressam à greve. Transportes Colectivos do Barreiro asseguram alternativa para chegar a Lisboa a partir de Coina e do Seixal

- Pub -

A nova paralização dos mestres da Soflusa está prevista até às 0h00 de quarta-feira, contudo a Soflusa/Transtejo anunciou que foram decretados serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social.

Desde as primeiras horas do dia os passageiros da Soflusa têm à disposição um serviço de ligação entre o Terminal Fluvial do Barreiro e Terminal Fluvial do Seixal, realizado pelos autocarros dos Transportes Colectivos do Barreiro (TCB). Esta é uma das alternativas, dentro dos serviços mínimos estabelecidos.

Os passageiros que pretendem utilizar a via Fertagus para chegar a Lisboa, podem contar também com um reforço na circulação da carreira N.º6 dos TCB, com destino à estação ferroviária de Coina.

Quanto aos serviços mínimos fluviais, a Soflusa garante apenas a circulação de duas carreiras em cada sentido. Entre o Barreiro e Lisboa será às 00h30 e 05h05. E no sentido contrário os serviços mínimos circulam à 1h00 e às 05h30.

O pré-aviso de greve foi marcado pelo Sindicato dos Transportes Fluviais, Costeiros e da Marinha Mercante (STFCMM), que afirma não estar a registar “evolução significativa” nas negociações com a Soflusa, no sentido de os trabalhadores alcançarem a valorização salarial pretendida. Motivo pelo qual, os mestres já se encontram a recusar trabalho suplementar, desde 18 de Junho.

É neste âmbito que a situação ganha novos agravantes, com os mestres da Soflusa a iniciaram também uma greve ao trabalho extraordinário que preveem manter até 31 de Dezembro.

O protesto teve início este sábado (6), tendo como objectivo exigir que seja respeitado o acordo celebrado a 31 de Maio, no qual está previsto o aumento de chefia que os mestres dizem ter sido suspenso.

Esta informação tem sido contraposta pela administração da Soflusa desde 21 de Junho, garantindo, em comunicado, que as negociações com os sindicatos estão a decorrer no sentido de dar “total cumprimento” ao acordo estabelecido.

Entretanto, a decisão de aumentar o prémio dos mestres em cerca de 60,00 Euros, levou a que sindicatos de outras categorias profissionais da empresa também avançassem com plenários e pré-avisos de greve, alegando que a subida será causa de “desarmonia salarial”.


 

Transportes Colectivos do Barreiro reforçam alternativa

Devido à greve dos mestres da Soflusa, a administração dos Transportes Colectivos do Barreiro (TCB) lançou um comunicado em que anuncia o reforço da carreira N.º6, com destino à Estação Ferroviária de Coina, até quarta-feira (10).

Esta solução surge no sentido de aumentar a frequência de transportes até à estação onde os utentes podem aceder à alternativa Fertagus, para chegar a Lisboa.

No referido comunicado os TCB informam que, “no período da manhã, a sua prestação de serviço encontra-se reforçada, entre as 06h00 e as 9h00 e no período da tarde, entre as 16h45 e as 20h50”.

No período nocturno ficam asseguradas conexões com a chegada de comboios provenientes de Lisboa, a partir das 21h00, “com recurso a carreiras N.º6 extraordinárias e à carreira N.º16”. Conexões que ficam asseguradas até à última ligação Fertagus, prevista pelas 2h01.

No mesmo comunicado os TCB informam ainda que, “não serão realizadas conexões com o comboio da 1h17, uma vez que será efetuado o barco com partida à 1h00 de Lisboa”.

Devido a este reforço das carreiras com ligação à Estação Ferroviária de Coina, os TCB alertam os utentes de que, “as carreiras 4 e 8 não se irão realizar, bem como algumas circulações pontuais das carreiras 1, 2, 14, e 15”.

Recorde-se que a Câmara Municipal do Barreiro, entidade que gere os TCB, assumiu o compromisso de reforçar serviços de transporte público, sempre que possível, no sentido superar os constrangimentos que as greves na Soflusa estão a causar na mobilidade da população.

Comentários

- Pub -