Setúbal: desenho da Arrábida a beijar o Sado vai ser pintado num prédio

4748
visualizações
Pintura digital da autoria de Renato Caria.

Autarquia está neste momento à procura de uma empena de um prédio para pintar desenho que mostra a Arrábida a beijar o Sado, uma criação do setubalense Renato Caria tornada pública o ano passado no Dia dos Namorados

 

- Pub -

A pintura digital que representa um beijo apaixonado entre a Serra da Arrábida e o rio Sado, da autoria do setubalense Renato Caria, vai ser pintada numa empena de um prédio algures na cidade. A Câmara Municipal é a autora da ideia e está neste momento à procura de um condomínio que aceite acolher o desenho, cujo trabalho ficará a cargo do writer Smile1art, apurou O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO.

“A Câmara de Setúbal começou logo à procura de uma empena de um prédio para pintar o desenho, poucos meses depois” de ele ter sido tornado público no grupo Coisas de Setúbal, no Facebook, a 14 de Fevereiro de 2018, onde granjeou grande sucesso, explicou o artista. Até agora não tem sido fácil encontrar um condomínio que aceite receber a pintura no seu prédio, mas o jornal sabe que a procura por um imóvel continua a decorrer.

A ideia, aliás, é fazer a pintura durante o programa de voluntariado e embelezamento urbano “Setúbal Mais Bonita”, que este ano decorre nos dias 31 de Maio e 1 e 2 de Junho (as inscrições já estão abertas através do email [email protected]). O trabalho ficará a cargo do writer Smile1art, o lisboeta Ivo Santos que de resto já tem outras obras da sua autoria em vários edifícios da cidade.

Renato Caria é setubalense e tem 27 anos. (Fotografia: DR)

“O eterno beijo entre a Serra e o Sado”, conforme o descreveu Renato Caria, foi desenhado digitalmente no programa de edição Photoshop como se de um desenho real se tratasse e demorou seis meses a ficar concluído. “O meu intuito foi fazer uma pintura que representasse a identidade de Setúbal”, explicou o setubalense de 27 anos formado em Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes em Lisboa.

Quando publicou a pintura no grupo Coisas de Setúbal, que reúne milhares de pessoas no Facebook, estava longe de imaginar o sucesso que iria ter. “Foi completamente inesperado. Foi explosivo. Toda a gente se identificou, não estava à espera disso. As pessoas viram que a imagem é parte delas também”, confessou, acrescentando que várias figuras conhecidas lhe deram os parabéns pela beleza da obra.

Renato Caria, que tem trabalhado como freelancer em Portugal e no estrangeiro, estima que o seu desenho possa ter chegado até entre 15 e 20 mil pessoas, tendo em conta as milhares de reacções às publicações que fez no Facebook.  Agora, sente que o facto de a autarquia querer pintar a sua obra numa empena de um prédio na cidade traduz um “reconhecimento” merecido do seu trabalho. “Acho que faria sentido fazer nalgum sítio a caminho da Arrábida”, concluiu.

Pintura digital da autoria de Renato Caria.

Pintar para recuperar mitos e lendas

“A lenda da moura encantada” é a mais recente pintura digital de Renato Caria, em resposta a um desafio lançado pelo site de promoção turística do concelho Inspire Setúbal, e foi publicada no passado Dia dos Namorados. O desenho inspira-se na lenda segundo a qual dois amantes proibidos – uma moura e um pescador – se encontravam em segredo na Porta do Sol da muralha de Setúbal “de onde se via o sol nascer por detrás da Pedra Furada”, legendou o artista. Para elaborar o cenário onde se encontram as personagens, a dançar juntas, Renato recriou digitalmente a muralha (construída em 1700) sob um mapa da cidade de Setúbal.

“Fui investigar arquivos locais na biblioteca e descobri uma série de lendas e mitos que a maioria das pessoas não faz ideia que existem, e que acho que era super interessante conseguir ilustrar para manter vivas essas memórias. É esse o meu intuito a longo prazo”, disse o artista, quem sabe já a pensar numa série temática de desenhos. Tanto este como o desenho feito o ano passado estão disponíveis para serem impressos em qualquer formato no centro de impressões SouthSpirit, na Avenida Luísa Todi.

Comentários

- Pub -