Equipas do distrito vencem concurso nacional de microssatélites

41
visualizações
Equipa EPASat-V, da Escola Profissional de Almada

O projecto vencedor do CanSat 2019 vem da Escola Profissional de Almada e representa um modelo de satélite à escala de uma lata de refrigerante

- Pub -

 

Equipa GSat: Paper Mission, do Colégio Guadalupe, Seixal, conquistou 2º lugar

 

A equipa EPASat-V, da Escola Profissional de Almada, apoiada pelo Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) venceu a final nacional do CanSat 2019, a competição de microssatélites promovida pela Agência Espacial Europeia e pela Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica.

Os alunos foram orientados por Luís Bettencourt, professor de Automação e Electrónica, e impressionaram o júri com o projeto “Espaço para Todos”, uma experiência espacial de pequena escala, representada por um CanSat, que consiste num microssatélite do tamanho de uma lata de refrigerante.

Durante a prova disputada na Ilha de Santa Maria, Açores, por 16 equipas do ensino secundário de todo o país, a equipa EPASat-V definiu como missão científica “verificar e controlar, de uma forma acessível a pessoas com necessidades especiais, os parâmetros de temperatura, humidade e qualidade do ar no interior de uma estufa que produz alimentos para a colónia lunar”, através de recursos como uma linha Braille, leitores de ecrã e uma página web acessível, explicou o docente responsável.

Para recolha de dados na estação terrestre foram desenvolvidas duas antenas Yagi, testadas e calibradas na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS), com a ajuda dos professores Filipe Cardoso e Manuel Ferreira.

 

Colégio Guadalupe também conquistou pódio

 

Foi também vencedora, acumulando o segundo lugar com o Prémio Melhor Desempenho Técnico, a equipa GSat: Paper Mission, do Colégio Guadalupe, Seixal, depois de no ano passado ter conquistado o primeiro prémio nacional e o troféu de vice-campeã europeia do CanSat.

O projecto apresentado pelo Colégio Guadalupe tem como objectivo testar uma nova tecnologia, os sensores de filme fino, contando também com o apoio do IPS.

“Num projeto como este, é muito importante a receção de dados e, por isso, é essencial a construção de antenas funcionais. O IPS ajudou a equipa, não só a testar as antenas que haviam construído, mas também a perceber mais sobre o funcionamento das antenas em geral, como testá-las e melhorá-las. A equipa ficou, portanto, a saber um pouco mais sobre esta área tão importante para o seu projeto e com vontade de aprender muito mais”, referiu o docente responsável, Dário Zabumba.

“Esta é uma parte importante da nossa missão e é com imenso gosto que a realizamos”, afirmou Filipe Cardoso, da ESTSetúbal/IPS, felicitando as equipas vencedoras. O docente assegurou também que, “enquanto instituição de Ensino Superior, o IPS continuará sempre a apoiar este tipo de iniciativas, que, duma forma quase lúdica, permite aos alunos envolvidos acumular conhecimento e experiência nestas áreas do saber, desenvolvendo competências adicionais, e motivando-os por forma que, no futuro, possam contribuir decisivamente para o que de melhor se faz em Portugal e no mundo”.

A final europeia do CanSat 2019 decorrerá em Itália entre os próximos dias 24 e 28 de Junho.

 

Comentários

- Pub -