Moita promove participação portuguesa no Festival Marítimo de Pasaia

65
visualizações

Feira Internacional de Turismo decorre até domingo em Madrid. O presidente da autarquia, Rui Garcia, foi convidado a participar na FITUR para promover o festival daquela localidade basca, que decorre entre 28 de Maio a 1 de Junho.

- Pub -

 

Com o objectivo de promover a participação portuguesa no Festival Marítimo de Pasaia, que se realiza na vizinha Espanha entre 28 de Maio e 1 de Junho, o presidente da Câmara Municipal da Moita, Rui Garcia, está presente na FITUR – Feira Internacional de Turismo, que está a decorrer em Madrid, desde esta quarta-feira até ao próximo dia 26, a convite da alcaldesa daquele município.

A presença do autarca naquele evento de turismo surge na sequência da participação da Associação Basca Albaola e de representantes do município de Pasaia no IV Encontro de Culturas Ribeirinhas, realizado em Outubro do ano passado, no concelho da Moita, tendo a autarquia sido convidada recentemente a visitar aquela localidade basca e a conhecer o trabalho ali realizado “na preservação do património naval, bem como o trabalho preparatório do Festival Marítimo de Pasaia que, em 2020, terá Portugal como país convidado”. Recorde-se que Rui Garcia foi recebido no passado mês de Dezembro, na sede do município espanhol, pela Alcaldesa Izaskun Gómez. Na ocasião, ambos os autarcas realçaram a “importância da história e tradição marítima que une as suas regiões e de um trabalho conjunto, através da participação no Festival Marítimo de Pasaia, no âmbito do projeto Moita Património do Tejo”.

Na edição de 2020 da FITUR, Portugal está representado pelas sete agências regionais de promoção turística e mais de 160 empresas. Só o stand português ocupa 915 metros quadrados, no Pavilhão 4, onde estão presentes 90 empresas nacionais. A presença portuguesa nesta feira internacional fica marcada pelo reconhecimento, por parte da Organização Mundial do Turismo, do Observatório de Turismo dos Açores e do Observatório Regional para o Turismo Sustentável do Algarve, que passam a integrar a sua Rede Internacional de Observatórios (INSTO).

Observatórios de sustentabilidade nas várias regiões

A criação de observatórios de sustentabilidade, nas diversas regiões do país, que permitam “um conhecimento aprofundado dos impactos da atividade no território e uma maior eficiência no planeamento e gestão dos destinos, é um dos objetivos estratégicos do Turismo de Portugal, pretendendo contribuir para afirmar Portugal como líder internacional em matéria de sustentabilidade, uma das metas da Estratégia Turismo 2027”. Com a adesão e reconhecimento destes observatórios na rede de Observatórios da OMT, Portugal será o único país europeu com três observatórios na rede, que já integra projectos de Espanha, Croácia, Grécia e Itália. E o terceiro país do mundo com mais observatórios, depois da China (nove) e Indonésia (cinco).

Recorde-se que Espanha é “um mercado estratégico para Portugal, contabilizando 2,1 milhões de hóspedes até Novembro de 2019, um crescimento de 9,3 por cento relativamente ao período homólogo de 2018”, sendo também o primeiro mercado no conjunto da procura externa para o Norte, Centro e Alentejo, e o terceiro em Lisboa e nos Açores.

A atividade promocional em 2020 estará “ancorada na preservação e valorização económica do património cultural e natural de Portugal e que, ao ter subjacente nas suas iniciativas e acções os valores e princípios da sustentabilidade, contribuirá para o reconhecimento e afirmação de Portugal como destino mundial de referência”.

 

Comentários

- Pub -