Festival do Tomate regressa a Alvalade e Mimosa

34
visualizações

Festividade pretende promover a gastronomia da região e o tomate enquanto património gastronómico local. Iniciativa conta com a participação de cinco restaurantes da região

 

- Pub -

O concelho de Santiago do Cacém prepara-se para receber mais uma edição do Festival do Tomate de Alvalade e Mimosa, a acontecer de sexta-feira a domingo. A 5ª edição da festividade, que se realiza na freguesia de Alvalade, pretende impulsionar a economia local através da promoção da gastronomia da região e, essencialmente, do tomate, considerado como património gastronómico local pelas suas propriedades.

 

Para o município “as expectativas são altas pois o festival é uma iniciativa que já ganhou o gosto do público. Este, durante estes dias, procura nos restaurantes aderentes as ementas com propostas variadas”. Em termos de visitantes, “o balanço feito junto dos empresários da restauração é positivo. A procura, durante os três dias de festival, é superior aos 80% dos pratos apresentados”, é acrescentado em seguida.

 

Este ano, aderiram à iniciativa cinco restaurantes pertencentes a Alvalade e Mimosa. Na confecção das entradas, dos pratos principais e das sobremesas, o tomate será o centro das atenções, produzido por associados da AlenSado – Cooperativa Agrícola do Sado, CRL.

 

Por sua vez, a animação musical acontecerá no jardim da Mimosa e será garantida na sexta-feira por Cláudio Rosário, pelas 21h30, e no sábado por Carla Nunes, pela mesma hora.

 

Organizado pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém, o festival conta com o apoio da Junta de Freguesia de Alvalade e da AlenSado – Cooperativa Agrícola do Sado, CRL.

 

A produção de tomate em Alvalade

 

O tomate surge na América Central e do Sul, mas ganha destaque na Europa no final do século XVI. Por sua vez, em Alvalade, começa a ser cultivado em 1959, tendo a sua produção atingido, no período entre 1973 e 1975, o ponto mais alto com uma área de plantação de 1600 hectares. Em 1962, entrou em funcionamento a maior fábrica de concentrado de tomate do país, fechando nos anos 90.

 

Hoje em dia a sua produção na freguesia, segundo a Câmara Municipal de Santiago do Cacém, é “realizada de forma sustentável”, na qual se recorre “a métodos e a tecnologias eficazes”. O seu cultivo é “fonte de trabalho para centenas de pessoas”, sendo assegurado “pela adaptação da cultura ao clima, pelos solos existentes e pela água proveniente de Campilhas e do Alto Sado”, afirma o município.

Comentários

- Pub -