Sapadores de Setúbal homenageados como exemplo nacional e internacional

61
visualizações

Os 223 anos da Corporação de Bombeiros Sapadores de Setúbal são marcados por uma homenagem ao trabalho dos “soldados da paz”, 24h00 por dias, 365 dias por ano

 

- Pub -

A celebração do 233º aniversário da Corporação de Bombeiros Sapadores de Setúbal (CBSS) inclui um programa de eventos oficiais a decorrer até 1 de Março, dedicado ao tema “Setúbal Resiliência +: Os Dias da Segurança”, com o objectivo de abordar questões da segurança sob várias perspectiva”.

Uma data que o vereador Carlos Rabaçal, responsável pela Protecção Civil Municipal, destaca como a celebração da “coragem, heroísmo, a abnegação daqueles que arriscam a vida em prol de todos nós”. Referindo ainda que a equipa de Sapadores de Setúbal está “pronta para combater, sem hesitar, as chamas; para socorrer aqueles a quem a desgraça bate à porta”.

Neste momento de celebração concelhia, Carlos Rabaçal colca ainda na linha da frente a importância de manter a operacionalidade da corporação, em especial através de acções “como uma recruta de 29 novos elementos e um reequipamento superior a 3 milhões de euros”.

Uma melhoria de recursos que, “faz parte de uma estratégia com mais de oito anos, para uma gestão integrada, que visa articular todos os agentes do concelho, desde as corporações dos bombeiros, à Protecção Civil, Cruz Vermelho a voluntários”.

Este sistema integrado permite hoje ter uma capacidade de resposta maior, “utilizando melhor os recursos do concelho”, destaca o vereador. “Algo que foi possível concretizar a partir de uma nova reorganização, com a alocação dos Bombeiros Voluntários em Azeitão e a concentração dos nossos Bombeiros Sapadores dentro da cidade de Setúbal”.

Claro que, “sempre que se verifique necessário”, assume Carlos Rabaçal, “contamos com o apoio dos municípios vizinhos, dentro do nosso sistema integrado, uma situação que se torna ainda mais clara quando olhamos para a actividade relacionada com a prevenção de ocorrências na Serra da Arrábida”.

A par da organização de recursos, Carlos Rabaçal reforça o empenho em dignificar o desempenho profissional dos “nossos bombeiros”, nomeadamente, “através da revisão do seu estatuto socioprofissional”. Um trabalho no qual a autarquia tem participado activamente, através de “discussões travadas na Associação Nacional de Municípios Portugueses, com corpos de bombeiros e o Governo”.

 

Eficácia da corporação é resultado de intercâmbio internacional

 

Carlos Rabaçal refere assim a grande satisfação com que a autarquia apresenta o sistema municipal de prestação de socorro, “sendo reconhecidos internacionalmente, com uma política de troca de conhecimento entre Espanha e França”. Um reconhecimento conquistada através das intervenções diferenciadas pela acção da corporação em casos de ruptura química, “uma excelente equipa de resgate, uma excelente equipa de busca em estruturas colapsadas”, acções que conduzem ao reconhecimento nacional internacional, assume o vereador.

Um resultada que levou ao convite da CBSS para participar no exercício nacional da “prestigiada UME – Unidade Militar de Emergências de Espanha, que decorrerá entre 1 e 5 de Abril, nos Pirinéus”.

 

“É preciso sustentabilidade para o futuro dos bombeiros”

 

Na abordagem às reivindicações que têm sido evadas a cabo pelas corporações de bombeiros, por todo o país, sobre melhores condições de trabalho, Paulo Lamego, comandante dos Bombeiros Sapadores de Setúbal, destaca que “o futuro dos bombeiros passa pela eliminação das guerras de classes, acima das quais deve estar o funcionamento das corporações”. Contexto em que defende “o essencial é manter a sustentabilidade para o futuro das corporações de bombeiros”.

Sobre o plano para o próximo Verão, no âmbito do combate aos incêndios Paulo Lamego refere que “essa acção representa apenas 5 a 10% de toda a nossa actividade anual, com um sistema que está preparado para funcionar 24h00 por dia, durante 365 dias, indo a sua actividade muito para além do Verão”.

“Neste momento a nossa maior urgência é a racionalização do uso dos meios e a reparação preventiva dos equipamentos de modo a preservar o que temos”. A adicionar a este factor essencial de sustentabilidade para o futuro, Paulo Lamego destaca ainda, a aquisição de “uma ambulância que esperamos receber m breve, para a prestação de socorro aos próprios operacionais no terreno em caso de incidente”.

Quanto às acções da CBSS no futuro, para garantir a prestação de socorro em cenário de catástrofe, “uma vez que a acção d CBSS vai muito além do combate aos incêndios” esta é sempre articulada com as corporações dos concelhos vizinhos, por exemplo “se tivermos em conta um cenário de sismo”. Uma situação em que “talvez nem mesmo os nossos bombeiros a nível nacional fossem suficientes para prestar socorro e por isso é determinante continuar a trabalhar em conjunto com organizações de ajuda internacional”

Fotografia – Alex Gaspar

Comentários

- Pub -