José Condeça organiza cortejo pela última vez

31
visualizações

Pelo segundo ano consecutivo, José Condeça, coordenador criativo, organiza o cortejo das vindimas e promete que “será muito elegante”

 

- Pub -

José Condeça com 60 anos não pára de surpreender com a sua arte criativa nos 13 carros que vão fazer parte do cortejo, um dos momentos mais emblemáticos da Festa das Vindimas.

O tema do cortejo assinalará a comemoração dos 10 anos de Palmela como primeira Cidade do Vinho, e irá contar com a participação de cinco cidades vencedoras do galardão de norte a sul de Portugal, onde estarão Régua, vencedora deste ano, Viana do Castelo, Beja, Lagoa e Barcelos. Nos restantes carros conta-se o da rainha, do castelo, da tasca típica, da arte e cultura (o carro mais votado pelo público no ano passado), o carro dos Loureiros e da Humanitária, bem como o carro especial, um parceiro de sempre, de Águas de Moura. José Condeça explica a novidade “Águas de Moura é uma terra de gente firme e um parceiro de sempre que tem colaborado com a Festa das Vindimas, que merece ser destacada”

Os carros do cortejo estão a ser construídos nas antigas instalações da Rodoviária, pois tiveram que sair da Socar, José Condeça considera que “este espaço é mais próximo da festa, mas devia ter sido reabilitado, pois tem telhas partidas, uma cada de banho entupida e o pó é uma constante, pelo que devia ter levado um pouco de alcatrão no chão de terra batida” e as pessoas que aqui “trabalham estão sempre a engolir o pó que anda no ar”.

 

“Nasceram-me os dentes na Festa das Vindimas”

 

Desde 1978, “já lá vão 40 anos, que de uma forma ou de outra tenho estado sempre envolvido e posso dizer que os dentes me nasceram na festa”, recorda Condeça e acrescenta que “toda a estrutura da festa tem que ser revista, passando por reforçar a envolvência dos vitivinicultores no cortejo dos camponeses e na pisa da uva, onde devia participar um casal de cada adega” e defende que “é preciso inovar pois a festa não pode ser todos os anos igual”.

E dá como exemplo o cortejo, que no ano passado “foi muito elogiado pelos palmelões e este ano queremos ir ainda mais além, onde Amilcar Caetano é o figurinista e a equipa de apenas mais seis pessoas, onde sou apenas o coordenador, conta com uma dupla de carpinteiros que são um luxo”. José Condeça faz questão de revelar que é o último ano que vai fazer o Cortejo, pois “as pessoas que são a base do que se faz não querem continuar…”

Desfiles envolvem centenas de pessoas

Para além dos 13 carros, que incluem oito a dez figurantes, revela o criador, “participam centenas de pessoas no cortejo, que desfilará no domingo à tarde e na terça-feira à noite”.

O cortejo, adianta o coordenador, “abre com as mães palmeloas e os guardiões do castelo, com muita animação de Águas de Moura e o grupo de bombos de Viana”, mas se no ano passado “foi muito bom, neste queremos ultrapassar as expectativas, com carros muito bonitos e os figurinos muito elegantes” e alerta “peço especial atenção para o carro da arte e cultura, que foi considerado o melhor, que este ano conta todas as passagens da festa”.

Comentários

- Pub -