Concelho atrai centena e meia de alojamentos locais

33
visualizações

 Palmela foi a capital do Turismo com a realização do Fórum que mobilizou mais de três centenas de participantes com uma forte presença de jovens e alunos de escolas da região

 

- Pub -

 

 

O Fórum sobre “Turismo e Património Cultural – Valorização dos Territórios”, decorreu no final da semana, no Teatro S. João, em Palmela, com mais de três centenas de participantes, onde se destacou uma grande participação de jovens e alunos de escolas da região.

Na sessão de abertura participou o presidente da Câmara, Álvaro Amaro, que começou por destacar que “Palmela tem vindo a afirmar-se como um destino turístico em franco crescimento”. O edil palmelense revelou “a nível de dormidas ultrapassámos as 100 mil em 2017” e “está a haver uma forte aposta nos alojamentos locais, que são centena e meia”.

As áreas do enoturismo, gastronomia, touring cultural e paisagístico, desporto de natureza e golfe foram as que mais cresceram, mas Álvaro Amaro anunciou novos investimentos, de mais de 1,7 milhões de euros, a nível de financiamentos europeus com “a valorização de sítios arqueológicos da Quinta do Anjo, os projetos de espaços de lazer e bem-estar, a Serra do Louro ao Cubo e Castelos e Fortalezas da Arrábida” e revelou “a criação do espaço Palmela Conquista no antigo edifício PAL”.

O Fórum Turismo Palmela foi organizada pela Câmara com os apoios da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal, com temas como o “Turismo como fator de valorização cultural dos territórios”, onde a região de Idanha a Nova abordou o projeto de Cidade Criativa da Música, quando Palmela prepara também a sua candidatura.

Na segunda parte abordaram-se as Perspetivas de Desenvolvimento Turístico e Cultural do Caminho de Santiago, um tema que é especialmente querido para a vila de Palmela, onde esteve instalada a sede da Ordem de Santiago até à sua extinção.

O Fórum de Turismo encerrou com a intervenção do vereador Luís Miguel Calha, que destacou a centralidade Palmela, Sesimbra e Setúbal, que “continuará a ser um importante motor económico da região”. O autarca responsável pelo pelouro do Turismo aludiu ao crescimento do turismo em Palmela, que “contribui para a auto estima do concelho dando a conhecer o artesanato, os vinhos, a gastronomia e os queijos, onde estamos a semear orgulho e a plantar felicidade”.

Luís Calha lança como objetivo para o futuro “posicionar Palmela como um destino em que o casamento entre o turismo e o património cultural é uma aliança feliz”.

No final do Fórum os participantes tiveram oportunidade de assistir à cerimónia da Queimada Galega, proporcionada pelo município de Viana do Castelo, onde a aguardente Pedras Negras ardeu misturada com o açúcar mascavado, as frutas e o mel, enquanto se rezava a oração para afastar as bruxas e os demónios.

Comentários

- Pub -