Vinho une Setúbal e Cricova

78
visualizações

A produção de vinho motivou um acordo de cooperação entre Setúbal e a cidade de Cricova. Para além de interesses económicos directos, existe também a vontade de troca de experiências entre produtores

 

- Pub -

Setúbal e Cricova celebraram um protocolo de cooperação que envolve áreas relacionadas com o vinho, nomeadamente a produção e enoturismo. O acordo foi assinado numa reunião entre os presidentes dos dois municípios, na cidade moldava.

Maria da Dores Meira esteve com Valentin Gutan na sequência de encontros em Portugal com o embaixador da República da Moldova em Lisboa, Valeriu Turea, “diplomata que tem um especial apreço por Setúbal, de tal forma que foi nomeado embaixador da cidade”, refere a autarquia em comunicado.

O futuro protocolo de cooperação entre os dois municípios, que, além dos aspectos centrados no vinho, em termos de economia e turismo, pode “estender-se à cultura, deverá vir a ser assinado em Setúbal, cidade proponente e que em breve envia a respectiva carta de intenções a Cricova”.

Entretanto, a presidente da Câmara Municipal de Setúbal pretende aproveitar o nível de desenvolvimento da produção de vinho moldavo em benefício da qualidade do sector na região sadina.

“Há todo o interesse em que os nossos produtores venham a Cricova, por uma questão de visão e de contacto com uma realidade em que o enoturismo é muito rentabilizado”, considera Maria das Dores Meira.

Cricova, com apenas 11 mil habitantes, produz cinco mil milhões de garrafas de vinho todos os anos, na cidade subterrânea onde se desenvolve por baixo, um labirinto de 120 quilómetros, feito de túneis, com condições especiais para o fabrico de brancos, tintos e espumantes.

Seiscentos trabalhadores laboram nestas galerias, as quais chegam a atingir os cem metros de profundidade, inauguradas em 1951 para serem um espaço, único no mundo, de produção de vinho, reaproveitando umas seculares minas de pedra calcária.

 

A região de Cricova tem 43 produtores

 

“O prestígio mundial de Cricova em relação ao vinho faz com que seja uma honra estarmos aqui, porque é uma área que diz também muito a Setúbal, uma região com 43 produtores”, transmitiu a autarca ao presidente do município de Cricova, no encontro.

Maria das Dores Meira propôs a celebração de um protocolo de cooperação na área dos vinhos entre os dois municípios, prontamente aceite por Valentin Gutan. “Aceito esta proposta de diplomacia económica, uma iniciativa que será reciprocamente vantajosa.”

O autarca moldavo, acompanhado nesta recepção a Setúbal por Valeriu Ostafii, conselheiro do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Moldova, revelou que Cricova foi nomeada, para 2020, Cidade Europeia do Vinho, o que se traduzirá numa série de eventos a realizar ao longo do ano.

A proposta de celebração de um acordo com Cricova foi possível graças a uma visita que a presidente da Câmara Municipal de Setúbal efectuou entre os dias 13 e 15 à cidade romena de Victoria, localizada na fonteira com a Moldova, no âmbito de um projecto europeu que envolve sete municípios de outros tantos países.

Comentários

- Pub -