Brejos do Assa e Quinta do Anjo inauguram escolas renovadas

31
visualizações

Intervenções representaram um investimento superior a um milhão de euros. Maior fatia coube à Escola Matos Fortuna que foi ainda ampliada

 

- Pub -

Com apenas 48 horas de intervalo, a Câmara Municipal de Palmela procedeu, na passada semana, à inauguração das renovadas escolas básicas de Brejos do Assa e Matos Fortuna, que foram alvo de obras de requalificação e ampliação, num investimento total superior a um milhão de euros.

Na pequena localidade de Brejos do Assa, na última quarta-feira, a tarde foi de festa para os 40 alunos, que frequentam o estabelecimento de ensino.

O presidente da Câmara, Álvaro Amaro, vereadores e o presidente da Junta de Freguesia de Palmela, Jorge Mares, foram recebidos com música e o chefe do executivo municipal aproveitou a ocasião para lembrar: “Assumimos o compromisso de requalificar a escola, porque o custo maior era afastar as crianças da envolvência onde residem”.

Os alunos demonstraram a sua felicidade pela renovada escola, cuja reabilitação representou um investimento superior a 127 mil euros, para a criação de uma sala multiusos, a requalificação de espaços exteriores, um recreio coberto e a colocação de equipamentos de jogo e recreio diversificados.

 

Escola Matos Fortuna com investimento de 954 mil euros

 

Na sexta-feira seguinte foi a vez da Escola Matos Fortuna na Quinta do Anjo. O estabelecimento de ensino passou agora a ter 2.175 metros quadrados, mercê da requalificação e ampliação de que beneficiou, com Álvaro Amaro a destacar a colaboração do Quintajense, que “cedeu os terrenos para permitir o aumento das instalações” da escola, que acolhe mais de 381 alunos e que agora ficou com capacidade para receber 439 (75 do pré-escolar e 364 do 1.º ciclo).

O edil palmelense lembrou o processo que obrigou ao crescimento da escola face à vinda de novos alunos, alguns deles de famílias de imigrantes.

A requalificação e ampliação da escola “não foi fácil”, disse, sublinhando que a intervenção “contou com a boa vontade de outras instituições da freguesia”, porque no concelho de Palmela “a requalificação das escolas nasceu de um processo participativo dos professores, pais e alunos”.

O presidente da Câmara fez ainda uma breve retrospectiva do processo. “Ultrapassámos todos os problemas, onde as aulas não deixaram de funcionar, apesar das situações que enfrentámos com os lançamentos do concurso e aumentos de preços”, lembrou, acrescentando: “Quero pedir desculpa pelas dificuldades, mas reconhecer o esforço de muita gente, desde instituições, junta de freguesia e técnicos. Mas não posso dizer bem da empresa”.

As obras realizadas permitiram dotar a escola de duas novas salas de aula do 1.º ciclo; uma sala multiusos para a educação pré-escolar, complementar às três salas de actividades; vestiários do pré-escolar; um ginásio com balneários e arrumos; uma biblioteca ampliada e requalificada; melhores espaços exteriores (mais espaços cobertos, um campo desportivo, um espaço de jogo e recreio para o pré-escolar, com equipamento próprio e área coberta, e um para o 1.º ciclo); sala de professores e sala de coordenação; sala com copa e instalações sanitárias para pessoal docente e não docente; arrecadações; refeitório ampliado; cozinha requalificada e ainda quadros interactivos.

O investimento foi comparticipado em 50% pelo FEDER, no âmbito do POR Lisboa 2020.

 

Escola das Cabanas à espera

 

Depois da requalificação das escolas de Aires, Águas de Moura, Brejos do Assa e Quinta do Anjo, falta a ‘cereja no topo do bolo’ com a intervenção na Escola de Cabanas, que teve de enfrentar diversos percalços. Desde a falência da primeira empresa a vencer o concurso, mais um concurso deserto, e finalmente, parece que as obras, apesar de estarem a decorrer a ritmo lento, devem ter conclusão para Março de 2020, mas só abrirá portas no próximo ano lectivo.

Os alunos desta escola foram deslocalizados para o Colégio Guimarães, onde continuam a frequentar as aulas e no próximo ano lectivo, algumas irão continuar a ser dadas no Colégio.

Comentários

- Pub -