Anuário dos municípios: Montijo, Almada e Palmela no pódio do distrito

301
visualizações

No ranking nacional, entre os municípios de média dimensão, Montijo é 3.° e Palmela 10.°. Almada é o 8.° melhor nos de grande dimensão

 

- Pub -

Montijo é o melhor município do Distrito de Setúbal em termos de eficiência financeira, com Almada e Palmela a fecharem, respectivamente, o pódio. Quem o diz é a Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) no Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses de 2018, apresentado no passado dia 30.

Grândola, Alcácer do Sal, Alcochete e Barreiro completam, respectivamente, o grupo dos sete melhores classificados do distrito.

O município montijense, presidido por Nuno Canta, lidera a tabela da região (tal como em 2017) com 1 607 pontos em 2 000 possíveis, o que lhe valeu ainda classificar-se como 3.° melhor do País entre os 98 municípios de média dimensão – Palmela é, neste particular, o 10.° com 1 272 pontos e o Barreiro o 33.° com 806.

Em relação aos municípios de grande dimensão (24 no total), Almada com uma pontuação de 1 326 é 8.º no ranking global.

Quanto aos de pequena dimensão (186 ao todo), Grândola (1 231 pontos) ocupa o 13.° lugar, Alcácer do Sal (1 185) é o 15.º e Alcochete (1 088) o 21.º classificado.

Alcochete evidencia-se

Alcochete é o melhor posicionado do distrito no ranking global dos municípios com maior equilíbrio orçamental (14.°). Montijo (29.°) e Grândola (35.°) são os outros da região que integram a tabela dos 35 primeiros.

O município alcochetano, presidido por Fernando Pinto, é também o mais bem classificado do distrito no ranking global dos municípios com melhor grau de cobertura de despesas (12.°). É igualmente quem tem na região maior grau de execução do saldo positivo na óptica dos compromissos, ocupando o 14.° lugar da geral, seguido do Montijo (18.°) e Palmela (20.°). É ainda o que apresenta melhor grau de execução da despesa face aos compromissos assumidos (13.°).

INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Sesimbra e Alcochete melhores

Na lista dos 35 municípios que apresentam maior independência financeira (receitas próprias/receitas totais), seis são do Distrito de Setúbal. Sesimbra é o melhor classificado da região, ocupando o 8.º posto do ranking global com um rácio de 82,9%, seguindo-se Alcochete no 12.º posto (78,2%), Almada no 13.º (76,7%) e Palmela no 14.º (75,7%). Montijo no 19.º lugar (74,3%) e Barreiro no 28.º (68,5%) fecham a lista da região entre os 35 primeiros a nível nacional.

MAIOR VOLUME DA RECEITA COBRADA

Seixal, Almada e Setúbal no top 15

Quanto aos municípios com maior volume da receita cobrada em 2018, a região apresenta um trio entre os 35 primeiros: Seixal é 7.º classificado com um encaixe de 126,1 milhões de euros; Almada é 13.º com uma receita arrecadada de 96,9 milhões; e Setúbal é 15.º com uma verba de 88,8 milhões cobrados.

PESO DE RECEITAS FISCAIS

Montijo, Almada e Alcochete à frente de Grândola, Palmela e Sesimbra

Seis dos 13 municípios da região figuram no ranking de 35 que apresentaram maior peso de receitas provenientes de impostos e taxas, na receita total cobrada. Montijo, no 13.º lugar da tabela, é quem no distrito apresenta maior índice de impostos e taxas arrecadadas (61,2%, que comparam com os 52,3% registados em 2017). Seguem-se Almada no 15.º lugar com 59,9% (mais 0,9% do que em 2017) e Alcochete com 57,7% (mais 5,9% face a 2017). Grândola surge no 25.º (54,7%), Palmela no 30.º posto (52,9%) e Sesimbra no 31.º (52,2%).

MAIS E MENOS IMI

Almada arrecada mais e cinco crescem a baixar a taxa

Em relação aos municípios com maior receita cobrada de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) contam-se quatro da região no ranking dos 35. Almada é 7.º (arrecadou 30,6 milhões de euros), Seixal é 12.º (com 27,4 milhões) e Setúbal 13.º (24,2 milhões). Sesimbra é 30.º (13,6 milhões). Nota de destaque para Sines, Santiago do Cacém, Seixal, Alcochete e Palmela que, embora tenham diminuído a taxa de IMI, aumentaram a verba arrecadada. Três municípios da região estão entre os 35 que apresentaram maior aumento da colecta de IMI: Almada (12.º); Seixal (13.º); e Montijo, que se situou entre os que cresceram a mais de 10% neste indicador (11,3%), ocupa o 20.º posto.

RECEITAS DE IMT e DERRAMA

Almada (IMT) e Setúbal (Derrama) facturam mais

Sete municípios da região estão no lote dos 35 com maior volume de receita cobrada de IMT. A saber: Almada no 11.° lugar (15,6 M€); Seixal no 23.° (9,5 M€); Grândola no 25.º (8,7 M€); Sesimbra 30.° (6,8 M€); Setúbal 31.º (6,6 M€); Palmela 33.º (5,9 M€); e Montijo 35.° (5,7 M€). Com maior receita cobrada de Derrama figuram, entre os 35 primeiros, Setúbal no 13.º lugar (4,5 M€); Sines no 14.º (4,4 M€); Almada no 20.º (3,4 M€); Palmela 24.° (2,7 M€); e Seixal 25.º (2,3 M€).

MAIS ENCARGOS COM PESSOAL

Montijo é líder nacional

São também sete os municípios da região entre os 35 do país com maior peso de gastos com pessoal nas despesas totais. Montijo é líder nacional (52,8% do orçamento é para despesas com pessoal). Alcácer do Sal é 4.° (49,1%); Moita o 8.° (45,6%); Alcochete 9.° (45,6%); Palmela 23.° (42,0%); e Almada o 28.° (41,4%).

AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

Seixal, Setúbal e Almada em destaque

Seixal é o município da região que mais gasta em aquisição de bens e serviços. É o 8.º município a nível nacional com 29,8 M€ de despesa. Setúbal e Almada vêm logo a seguir, nos 13.º e 16.º lugares, respectivamente. Setúbal registou gastos de 25,2 M€ e Almada ficou-se pelos 23,4 M€.

PRAZOS MÉDIOS DE PAGAMENTOS

Montijo paga a 4 dias e Setúbal a 147

Entre o top 35 dos municípios que apresentam menor prazo médio de pagamentos consta apenas um município da região: o Montijo (26.° lugar com 4 dias de prazo médio). Em sentido inverso, Setúbal é o 20.º entre aqueles que mais demoram a pagar: apresenta um prazo médio de 147 dias, mais de o dobro para lá do limite máximo estipulado por lei (90 dias). Sines é o 29.º (114 dias) e Alcochete o 35.° (94 dias).

MAIORES RESULTADOS ECONÓMICOS

Seixal nos 11 melhores

Sete municípios da região estão no top 42 dos que apresentam maiores resultados económicos. Seixal é 11.° (com 14,7 M€); Almada 16.° (10,1 M€); Barreiro 22.° (6,8M€); Montijo 29.° (5,3 M€); Grândola 30.° (5,1 M€); Alcochete 38.° (4,3 M€); e Sines 42.° (3,2 M€).

Comentários

- Pub -