Cruzeiro do Convento de Jesus tratado com ‘pinças’

97
visualizações

O cruzeiro que domina a praça do Convento de Jesus é considerado de elevado valor histórico, pelo que qualquer intervenção que aconteça no mesmo tem de ser feita com mil cuidados. E desta vez não foi fácil com o mesmo a ser desmontado

O cruzeiro do Convento de Jesus, em Setúbal, colocado de frente para o mesmo, vai ocupar uma posição de destaque no novo desenho paisagístico a criar no largo daquele monumento nacional.  Para isso teve de ser relocalizado numa complexa operação de engenharia integrada na empreitada de requalificação em curso nesta área nobre da cidade.

- Pub -

A peça de elevado valor patrimonial, erigida em brecha da Arrábida, foi
desmontada e deslocalizada em cerca de 50 metros, com recurso a uma grua
pesada de grande dimensão, para retomar à posição original.

O cruzeiro foi recolocado sobre uma base de betão, o que permite reforçar a
estabilidade da peça que está agora ao eixo em relação ao portal da Igreja de Jesus. Por estar em causa uma peça de interesse histórico, esta operação obrigou ao aval da Direcção-Geral do Património Cultural, o que incluiu ainda trabalhos de limpeza, conservação e seu restauro. Assente sobre um soco octogonal este cruzeiro é constituído por uma base com quatro
ordens de degraus circulares.

Segundo informação da autarquia esta operação “materializou mais um passo no projecto de requalificação da área envolvente do Convento de Jesus, a decorrer desde o final do ano
passado, e que se traduz numa melhoria profunda das condições de usufruto para a população”.

A requalificação da área envolvente do monumento implicou um investimento em “cerca
de 1,5 milhões de euros, com financiamento comunitário de 65 por cento”, este montante engloba ainda a zona norte e poente do monumento, na qual são criadas bolsas de estacionamento.

A intervenção na praça implica a criação de um espaço verde, de percursos pedonais, de um plano de água elevado e de um banco ao redor de toda a zona verde para descanso e lazer. Inclui ainda a ampliação do adro – que será revestido com um novo lajeado de pedra –, a criação de lugares de estacionamento e a relocalização da paragem de autocarro.

A obra é concebida “numa lógica de prevenção de cheias, nomeadamente para se
evitar que, em situação de intempérie, a água invada o convento”, refere comunicado da Câmara, que adianta serem “colocadas pequenas comportas que abrem e fecham consoante a necessidade”.

Da operação faz igualmente parte o restauro do hornaveque, uma antiga estrutura de defesa do convento que actualmente não é visível, com o objectivo de dignificar aquele elemento de grande valor histórico.

Este projecto é enquadrado na obra de requalificação geral do Convento de Jesus, uma intervenção assumida pela Câmara Municipal de Setúbal, que se “substituiu ao Estado para estancar o processo de degradação do monumento nacional”, lê-se no mesmo comunicado.

Comentários

- Pub -