Governo anuncia novo terminal de Sines e prolonga concessão à PSA por mais 20 anos

76
visualizações

Amanhã é lançado o concurso para Terminal Vasco da Gama, que vai custar 642 ME e estará concluído em 2024. Ao mesmo tempo, a PSA, que alarga concessão do Terminal XXI para 50 anos, vai investir também 660,9 ME

 

- Pub -

O Governo anunciou no sábado o lançamento de um concurso público internacional para a concessão do novo terminal de contentores do Porto de Sines, uma obra orçada em 642 milhões de euros, que deverá estar concluída em 2024, e, na mesma cerimónia, assinou o prolongamento da concessão do Terminal XXI à PSA por mais 20 anos.

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, adiantou que o concurso será lançado formalmente amanhã, para um prazo de concessão de 50 anos. A governante explicou que será um concurso público internacional para a concessão, em regime de serviço público, de um novo terminal de contentores no Porto de Sines, designado por Terminal Vasco da Gama.

O caderno de encargos contempla o projeto de construção e exploração, existindo um prazo de nove meses para apresentação de propostas. O Governo prevê que a adjudicação desta obra seja feita no último trimestre de 2020 e que esta possa ter início em 2021, com uma duração aproximada de três anos.

A construção do novo terminal de Sines representa um investimento total de cerca de 642 milhões de euros e terá uma capacidade de movimentação anual de 3,5 milhões de TEU (medida padrão para calcular o volume dos contentores).

Do valor total de investimento, que será feito por fundos privados pela futura entidade concessionária, estima-se que 225 milhões de euros sejam para equipamentos e os restantes 417 milhões para infraestruturas.

A tutela estima que o novo terminal de Sines gere um impacto económico total de 524 milhões de euros, representando 0,28% do Produto Interno Bruto (PIB) e 0,33 % do Valor Acrescentado Bruto (VAB) português.

Já a nível do emprego, o Governo acredita que possam ser criados 1.350 postos de trabalho diretos na fase de exploração.

A mesma sessão, serviu para a assinatura de um aditamento ao contrato de concessão assinado entre a Administração do Porto de Sines (APS) e a empresa concessionária PSA Sines, para o Terminal XXI.

A renovação desta concessão será por mais 20 anos, passando dos 30 inicialmente previstos para 50, e prevê um investimento global de 660,9 milhões de euros, que contempla a expansão do cais de acostagem, mas também a manutenção, substituição e renovação de equipamentos já instalados nas fases anteriores. Deste investimento, a PSA Sines pretende aplicar 134,4 milhões de euros em infraestruturas, concretizadas entre Fevereiro de 2021 e o final de 2023.

Está previsto, igualmente, um investimento de 9,3 milhões de euros para a expansão da ferrovia, já existente, e 154,2 milhões para novos equipamentos a adquirir até 2027, num total de 297,9 milhões. A frente de cais do terminal, atualmente com 1.040 metros, passará a ter 1.950 e possibilitará a atracação simultânea de quatro navios porta-contentores de última geração.

Com esta intervenção, o Governo estima aumentar a capacidade dos actuais 2,3 milhões TEU (medida padrão para calcular o volume dos contentores) para 4,1 milhões.

No final da cerimónia, em declarações aos jornalistas, a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, destacou o facto deste investimento no terminal XXI resultar também na criação de mais emprego direto e indireto na região, estimando, em termos diretos, mais 900 postos de trabalho. “O porto de Sines já é o maior empregador da região e com este investimento vamos duplicar o emprego direto”, assegurou a governante.

Actualmente, o Terminal XXI emprega mais de mil pessoas e, com estas alterações, o Governo estima que o impacto no Produto Interno Bruto (PIB) seja de 118 milhões de euros, promovendo, em termos de efeitos diretos, indiretos e induzidos, a criação de cerca de 4.600 postos de trabalho.

Por seu turno, o diretor executivo regional da PSA para a Europa, David Yang, lembrou que quando o grupo assumiu a gestão do Porto de Sines, em 1999, “a cidade era pequena e tinha poucas infraestruturas”. “Em 20 anos tudo mudou. Da nossa parte não haverá retrocessos e iremos continuar a investir”, sublinhou.

 

Porto de Setúbal com Janela Única Logística em Março

A Janela Única Logística (JUL) entra em actividade em Março de 2020, anunciou a Administração dos Portos de setúbal e Sesimbra (APSS), na sexta-feira.

Em comunicado, a administração portuária referiu que o novo sistema “constitui um passo significativo para tornar o porto mais competitivo, com processos totalmente digitais, mais rápidos e mais baratos”.

A JUL é um sistema que faz a ligação da Janela Única Portuária (JUP) a todos os modos de transporte terrestre, desenvolvendo a ligação aos portos secos e plataformas logísticas e que pretende aumentar a eficiência das cadeias logísticas do país.

Comentários

- Pub -