“Há um grande orgulho nestas festas”

73
visualizações

Rui Garcia recorda momentos altos das Festas da Moita e espera habitual adesão dos moitenses e de visitantes que regressam todos os anos, unidos pelo convívio e amizade

 

- Pub -

As Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem começam amanhã e animam a vila até dia 15, com um programa musical ecléctico e momentos onde não faltam tradições centenárias e a aposta na música, da Pop ao Fado.

São esperado cerca de 500 mil visitantes.

Ao longo de dez dias, três palcos – o Palco Super Bock, na marginal, o Palco Intermarché, na Praça da República e o Palco do Largo Conde Ferreira – recebem mais de duas dezenas de artistas. Momento que Rui Garcia, presidente da Câmara Municipal da Moita quer de “convívio, alegria e animação”, convidando moitenses e visitantes a estar presentes.

Depois do sucesso de 2018, a autarquia aposta na edição deste ano com um orçamento de cerca de 300 mil euros, para realizar as festas cujo segredo, no parecer de Rui Garcia, reside num formato consolidado, onde não falta, contudo, espaço para crescer e inovar.

 

Que Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem temos este ano?

 

Temos uma grande festa. Um grande evento não só do concelho mas de toda a região e da zona sul.

A nossa intenção não é inovar todos os anos, consideramos que as festas têm uma estrutura consolidada que se deve manter e que assenta numas festas que são multifacetadas. Todos os dias há muitas coisas a ocorrer ao mesmo tempo, atractivas para diferentes públicos. Desde o programa musical variado, até às largadas de toiros. A componente ligada ao rio, com as embarcações tradicionais e a religiosa, com a tradicional procissão a ser um momento alto da homenagem a Nossa Senhora da Boa Viagem e forte participação por parte das pessoas. E depois a feira franca, com os divertimentos e restauração e a Feira Comercial e Industrial [FECI].

Tudo isto são motivos mais do que suficientes para atrair o meio milhão de pessoas que nos visita ao longo dos dez dias de festas.

 

O cartaz musical é bastante ecléctico, talvez até mais do que noutros anos. Esta é uma das apostas para inovar hoje e no futuro?

 

Sim. Embora não apostemos em nomes de grande projecção, temos apostado sempre num cartaz com vários géneros, para cativar diferentes públicos, desde os mais jovens, com a presença de cantores, bandas e DJ’s, até à presença do Fado e música popular.

Essa é de facto uma aposta que fazemos, porque consideramos que os gostos do público são muito diversificados e umas festas desta natureza não se devem focar num único género musical.

 

Actualmente qual o orçamento destas festas?

 

Movimenta cerca de 300 mil euros. Ainda não temos números exactos para este ano, mas não vão divergir muito do ano anterior. O investimento principal é, essencialmente, da autarquia, mas importa salientar que a receita das festas cobre uma boa parte destes custos.

Temos também alguns patrocinadores que contribuem.

 

Que peso esta celebração tem na economia local?

 

As Festas da Moita têm grande impacto no comércio da zona mais central da Moita, são muitos milhares de pessoas que nos visitam por dia. E pensamos que têm também um impacto indirecto, porque se as pessoas que visitam a vila nestes dias ficarem agradadas, podem voltar em outras ocasiões. E, por isso, são um estímulo importante à economia local.

Através da FECI, que se realiza no Pavilhão Municipal de Exposição, tentamos também ter um espaço onde negócios locais possam divulgar os seus produtos.

 

Tradição une moitenses e visitantes

 

Quem vem às Festas da Moita, volta todos os anos. Há algo que une quem vista este certame?

 

As festas tradicionais são momentos de afirmação da identidade e da cultura de uma comunidade, ainda mais uma comunidade com tradições tão arreigadas, por isso a adesão emocional das pessoas da Moita às festas é muito grande.

Por isso na Moita há um grande orgulho nestas festas, uma vaidade. E isso é transversal à população em geral e a comerciantes.

Ao longo de décadas, adquiriu-se essa projecção que, de facto, ultrapassa as fronteiras do concelho.

 

São a representação de tradições seculares?

 

São festas com tradições muito antigas, seguramente com pelo menos três séculos de existência, pelo menos no que diz respeito à romaria na procissão de Nossa Senhora da Boa Viagem, enquanto padroeira dos marítimos.

A Feira Taurina da Moita é também conhecida em todo o país, sendo inclusive uma das maiores a nível nacional.

 

Aqui falar de tradição e não falar de tauromaquia é quase impossível. Como é que se mantém este ex-libris do passado e do presente, num momento actual tão conturbado?

 

Considero que a tauromaquia mantém-se enquanto as pessoas quiserem e aderirem. E aquilo que nós, Câmara Municipal da Moita, defendemos é que as tradições tauromáquicas fazem parte da identidade deste concelho e portanto podem ser respeitadas. Da mesma forma que têm que ser respeitadas as opiniões diferentes, de quem não gosta e não quer assistir.

O que não aceitamos é que se pretendam impor gostos. Mas a Moita tem as suas tradições, a tauromaquia faz parte delas e nós continuaremos a preservar essas tradições e essa cultura.

 

 

Moita convida a viver momentos únicos

 

 

Para quem visita a Moita, que momentos destaca nestes dez dias de festa?

 

Para além dos momentos de grande impacto como a procissão em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, no primeiro Domingo da festa. As dez largadas de toiros são também momentos de grande adesão.            E depois os diversos tipos de espectáculos musicais, cada um importante para o seu público.

O que posso dizer é que visitem a Moita, porque encontram seguramente alguma coisa do seu agrado nas Festas para passar bons momentos, de divertimento e de cultura. Vale sempre a pena vir às Festas da Moita.

 

Nos últimos anos temos assistido a alguns incidentes nas Festas da Moita. Considera que faz falta a adopção de uma campanha de segurança que apele a maior civismo?

 

Estamos a falar de uma concentração de milhares de pessoas. E o número de acidentes que acontece em relação a esta massa humana é bastante reduzido.

Por isso não é aceitável, do meu ponto de vista, que se crie a imagem de problemas de segurança nas Festas da Moita.

Nas largadas são tomadas todas as medidas de segurança necessárias, designadamente a delimitação do espaço de forma muito clara, sendo impossível alguém, inadvertidamente, entrar no espaço da largada. A protecção aos edifícios e aos acessos é feita . E quem entra lá dentro sabe ao que vai, que é uma largada e está sob sua responsabilidade.

Deste ponto de vista todas as medidas de segurança possíveis estão criadas e temos inclusive um serviço médico disponível, a organização garante a presença de um posto de tratamento médico imediato. Estão também presentes bombeiros e uma ambulância.

 

Uma mensagem para munícipes e visitantes…

 

Acarinhem as nossas festas. Vivam as festas de uma maneira saudável, porque são

Espaços de divertimento, de alegria, convívio e amizade. E tudo o que não seja isto não tem cá lugar. Por isso esperamos que as festas decorram sem quaisquer problemas.

As palavras que deixo para todos são estas e que venham às Festas da Moita, porque realmente vale a pena.

 

 

Comentários

- Pub -