Alterações de trânsito tentam melhorar circulação do Liceu aos Ciprestes

64
visualizações

Zona mais entupida da cidade tem novo esquema de circulação rodoviária desde quinta-feira. Para já está a rolar

 

- Pub -

A envolvente à Avenida dos Ciprestes, o mais castigado acesso rodoviário a Setúbal, que junta parte do trânsito que chega da auto-estrada ao que entra pela Estrada Nacional (EN) 252 do lado de Palmela, tem, desde quinta-feira, um novo esquema de circulação que pretende melhorar as acessibilidades àquela zona da cidade.
O novo modelo de trânsito inclui uma nova via, que abre um novo acesso ao Bairro do Liceu, e redirecciona a circulação numa lógica giratória com uma redefinição de sentidos que transforma quatro quarteirões numa espécie de rotundas.
A Câmara de Setúbal diz que pretende melhorar a circulação nesta zona da cidade, que tem sido a mais afectada por congestionamentos nos últimos anos. As filas às horas de ponta, sobretudo na Avenida da Europa, foram um martírio para os moradores de alguns bairros próximos da Avenida Rodrigues Manito, principalmente enquanto decorriam as obras desta nova solução, que se juntaram aos trabalhos de regularização hidráulica da Várzea.
A autarquia sadina, que desenvolveu e executou o novo esquema de circulação diz que o objectivo é “optimizar o fluxo e as acessibilidades rodoviárias naquela área da cidade”.
Uma das novidades do novo sistema é a abertura de uma nova via que prolonga a Avenida de Moçambique permitindo a ligação, de carro e a pé, à Avenida dos Ciprestes. Os moradores dos bairros mais encurralados pela situação anterior passam a dispor de acesso directo à estrada principal e com uma envolvente privilegiada uma vez que o novo troço contorna o futuro maior jardim público de Setúbal (ver caixa).
Esta parte da obra, que inclui uma nova rotunda na Avenida de Moçambique, foi criada ao abrigo de um acordo entre o município e a Lidl e Companhia que ampliou o hipermercado que detém naquele local.
Esta reformulação viária, que segundo a Câmara de Setúbal, “melhora a fluidez do tráfego automóvel naquela zona, incluindo as acessibilidades ao Bairro do Liceu”, passa também pela alteração do esquema de circulação na Avenida dos Ciprestes, no troço entre a Avenida Avelar Brotero e a interseção com a Avenida de Moçambique.


Jardim da Várzea aguarda financiamento
Esta zona da cidade integra o projecto Urbanístico e Ambiental da Várzea, cuja primeira fase está quase concluída, e onde vai nascer o maior jardim de Setúbal.
A construção do futuro Parque Urbano da Várzea, cujo projecto aguarda financiamento de 4,5 milhões de euros, está a ser antecedida de um investimento igualmente volumoso. A regularização hidráulica dos terrenos, que visa mitigar o efeito das cheias na cidade, através de uma obra estruturante de criação de bacias de retenção pluvial, custou cerca de 4 milhões de euros e está em fase de conclusão.
O projecto para o jardim, que já foi apresentado, contempla a criação de uma vasta área de lazer, com 19 hectares, que inclui lago artificial, quinta pedagógica, campos desportivos e de aventura, parques infantis, miradouros, quiosques, jardins e zonas de recreio, num total de 17 equipamentos e usos distintos.

 

Primeiros dias sem problemas e ciclovia para breve

Nos primeiros quatro dias o sistema tem funcionado sem registo de problemas. “Tem corrido bem e não houve reclamações dos moradores” disse fonte do gabinete da presidência da Câmara de Setúbal a O SETUBALENSE na sexta-feira à tarde, explicando que a autarquia procurou informar os moradores, tendo distribuídos folhetos nas zonas mais directamente envolvidas.
A presidente da Câmara, Dores Meira, esteve presente no local, no momento de abertura do novo troço, na quinta-feira, não havendo registo de manifestações de desagrado dos automobilistas.
A Avenida dos Ciprestes está a ser qualificada até à fronteira do concelho de Setúbal com o de Palmela, frente à Multiauto, com passeio e uma ciclovia. Esta nova via para bicicletas, construida ao abrigo do projecto intermunicipal CICLOP7, financiado por verbas comunitárias, será construida ao longo de toda a Avenida dos Ciprestes até à frente ribeirinha da cidade, passando pelo interface da praça do Brasil. Futuramente ligará também à nova via da Avenida de Moçambique. Objetivo é que nova ciclovia ligue às escolas e aos bairros e permiti o uso de modos suaves de circulação. “Pretende-se captar muita gente que faz diariamente a deslocação Setúbal-Palmela” refere a autarquia.
Este troço da Nacional (N) 252 passa a Avenida dos Cipreste no âmbito da transferência dominial da Infraestruturas de Portugal (IP) para o Município de Setúbal, que implica a mudança de classificação da via e correspondente arranjo com passeios e ciclovia.
No local onde estão actualmente grandes grupos de separadores de plástico, na zona da igreja em construção, a Câmara tem intenção de requalificar o troço da via. Do lado oposto da avenida correrá a ciclovia para o centro da cidade.

Comentários

- Pub -