Ministra diz que investimento no porto de Sines quase duplica peso no PIB

74
visualizações

Capacidade de carga aumenta de 2,3 para 4,1 milhões de contentores. Porto passa a “valer” 2,5 do PIB nacional

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, destacou ontem o impacto que o investimento privado de 1,2 mil milhões de euros previsto para o porto de Sines vai ter no Produto Interno Bruto (PIB) nacional.
“É um investimento significativo que se vai traduzir no impacto sobre o PIB nacional de mais de mil milhões de euros, uma parte devido ao Terminal XXI e outra ao novo Terminal Vasco da Gama”, estimou hoje a governante, numa visita a Sines.
O porto de Sines, sublinhou Ana Paula Vitorino, “tem um peso de 1,5% do nosso PIB e com estes investimentos não duplicamos mas quase, ou seja, ficamos seguramente acima dos 2,5% do PIB, o que é significativo”.
“Estamos a falar da maior infraestrutura nacional que vai ficar ao nível daquilo que é o topo da competitividade na Europa e dos portos do Norte de África”, acrescentou.
Ana Paula Vitorino falava durante uma visita ao porto de Sines para anunciar o investimento privado de 547 milhões de euros na expansão do Terminal XXI, a cargo da concessionária PSA Sines, a construção do Terminal Vasco da Gama, num total de 642 milhões euros, e um investimento público de 100 milhões de euros na infraestrutura portuária.
“Com a ampliação do Terminal XXI vamos passar de uma capacidade de movimentação de carga que quase duplica, de 2,3 milhões para 4,1 milhões de TEU que podem ser movimentados anualmente. O novo Terminal Vasco da Gama terá o mínimo de 3 milhões de TEU de capacidade de movimentação”, frisou.
A governante aproveitou para anunciar um investimento público de 100 milhões de euros em projectos que vão permitir melhorar a eficiência e a competitividade do porto de Sines, incluindo a ampliação do molhe leste em 750 metros, num valor de 75 milhões de euros, e o reforço da rede eléctrica para alta tensão, com um valor estimado de 10 milhões de euros.
“A extensão do molhe [leste] vai garantir a segurança das manobras dos navios, devido à agitação marítima, e vamos ter o reforço da capacidade e eficiência energética do porto, uma vez que o seu crescimento obrigará a uma maior capacidade no fornecimento de energia”, explicou.
A modernização do sistema de controlo de tráfego marítimo da administração portuária, no valor de 900 mil euros, foi outro dos investimentos apresentados para reforçar a segurança do tráfego marítimo e do sistema portuário.
O novo sistema VTS “permitirá aumentar a fluidez e a segurança da navegação das embarcações que demandam os portos de Sines, Faro e Portimão”, indicou o Ministério do Mar.
“Para se ter um porto moderno e habilitado deverá haver investimento público. A segurança é cada vez mais incontornável e o novo VTS, que foi agora instalado, está em sintonia com o projecto da Janela Única Logística que entra em funcionamento em setembro no porto de Sines”, adiantou a governante.
A construção de um Centro de Despacho de Mercadorias & Pré-Gate Rodoviária (quatro milhões de euros), a requalificação do ramal ferroviário do porto de Sines (8,4 milhões de euros) e uma nova lancha de pilotos, no valor de 900 mil euros, fazem parte do pacote do investimento público anunciado pela ministra.
Além do aumento da capacidade de movimentação de carga que os investimentos no Terminal XXI e do futuro Terminal Vasco da Gama vão representar para o porto de Sines, a ministra do Mar destacou ainda a importância dos projectos para a criação de emprego e riqueza na região.
“É um investimento muito significativo para o país, impactante para a economia e o emprego da região. Vamos colocar Sines nas rotas logísticas e internacionais, ou seja no topo da primeira liga do transporte marítimo e internacional”, afirmou.

- Pub -

LUSA

Comentários

- Pub -