O Fado também mora em Corroios

22
visualizações
Francisco Ramalho - Ex-bancário, Corroios
Francisco Ramalho – Ex-bancário, Corroios

Para além do Festival de Música Moderna de Corroios, do Festival Infanto-Juvenil Moinho d`Ouro, de grupos corais e de folclore de diversos coletividades, Corroios também cultiva aquela que é a mais genuína expressão da alma lusa e património imaterial da humanidade; o fado. Foi isso que mais uma vez esteve bem patente na III Grande Noite de Fado Emídio Leitão.

- Pub -

No último sábado, passaram pelo largo da igreja local, 9 jovens fadistas oriundos da Escola de Fado da Casa do Povo de Corroios, todos com assinalável nível. Portanto, não menosprezando o valor artístico de nenhum deles, como Linda Soares, Ana Sofia, Pedro Rodrigues e Leonor Duarte, sobressaíram no entanto, nomes que, julgamos, serem já certezas do fado: Joana Carvalhas, Nélia Romão, Beatriz Guerra, Elsa Moreira e Maria Passarinho. Presentes, estiveram também os “seniores” consagrados Tina Santos e Luís Almada, e ainda Fernando Viegas e Milai Santos. O acompanhamento musical esteve a cargo por Músio Sá, Carlos Fonseca e Luís Almada (que também cantou. E bem!) respetivamente,  na guitarra portuguesa, viola de fado e viola baixo.

O homenageado, Emídio José Macau Leitão, um arraiolense que desde há muito se fixou em Corroios, foi um castiço fadista amador, homem simples e afável. Um exemplo para todos estes jovens.

A popular iniciativa é da responsabilidade da Junta de Freguesia de Corroios e conta com a indispensável colaboração da Casa do Povo de Corroios. A apresentação esteve a cargo de Francisco Rodrigues, velho dirigente desta coletividade e principal mentor da respetiva escola de fado.

Os aplausos não faltaram de quem encheu por completo o referido largo, e o evento, segundo o presidente da JF de Corroios, Eduardo Rosa, é para continuar.

Comentários

- Pub -