Não ao racismo!

133
visualizações
JOSÉ PEREIRA
Presidente da Direcção
do C.D. “Os Pelezinhos”

 

- Pub -

Ciclicamente, com maior ou menor gravidade, manifestações de racismo são tema na comunicação social europeia, fruto de um qualquer episódio lamentável nos estádios de futebol. Portugal tinha, até agora, permanecido fora do radar. Este fim-de-semana, porém, o que se passou com Moussa Marega colocou Portugal, pelos piores motivos, nos ciclos noticiosos europeus.

Naturalmente, o jogador tem toda a nossa solidariedade e repudiamos em absoluto o que se passou. Manifestações de racismo, pura e simplesmente, não podem ter espaço nos estádios em Portugal e é importante que todos os intervenientes no mundo do futebol disso tenham consciência e que assumam as suas responsabilidades.

No universo do futebol de formação, nós assumimos as nossas sem hesitações ou dúvidas. Comportamentos de natureza racista entre os nossos atletas, ou dos nossos atletas para com terceiros, bem como oriundos da nossa massa adepta, quando sejam detectados por nós, não deixam de ter consequências. Nos Pelezinhos, que fique muito claro, temos zero tolerância relativamente a este fenómeno.

Temos zero tolerância em relação ao racismo, como temos, aliás, relativamente a outros fenómenos de discriminação. Regressamos sempre ao nosso lema: formar, competir, crescer. O futebol de formação, tal como o entendemos, vai muito para além da actividade desportiva propriamente dita. Assumidamente, nós queremos ajudar a formar os adultos de amanhã e a moldar os seus valores.

E, por falar em valores, uma nota final sobre o jogo de benjamins de futsal entre o Sporting e o Benfica, em que um dos jogadores disse ao árbitro que estava a assinalar indevidamente um penalty a favor da sua equipa. Um excelente exemplo de fair play. E este é também o nosso caminho.

Comentários

- Pub -