Não à Indiferença

18
visualizações
Francisco Ramalho – Ex-bancário, Corroios

 

- Pub -

No final de cada ano, quem publica opinião, é natural  ser tentado fazer o balanço do mesmo. Não fugimos à regra. Mas, devido ao espaço de que dispomos, tal balanço, teria de ser bem sintético e limitado. Assim, focaremos apenas alguns assuntos relevantes  de âmbito nacional ou não, mas que nos tocam a todos. Por exemplo, a violência doméstica. Durante o ano que agora finda, ceifou a vida a mais de 30 mulheres. Portanto, é imperioso que tais crimes, sejam prevenidos, denunciados e exemplarmente condenados. Outra lamentável situação  há muito  previsível  devido a condenável falta de civismo e de sensibilidade e ainda por negligência de diversos Municípios e  do Poder Central que tem vindo a agravar-se; o abandono de animais. Principalmente gatos e cães. Tendo estes últimos, já formado matilhas em diversas zonas do país, como na Arrábida, constituindo um potencial problema de saúde e de segurança pública. Outro assunto de primordial importância, é a preservação ambiental. Mais a mais, agora perante este pesadelo global que são as alterações climáticas. E aqui pergunta-se se o novo aeroporto terá mesmo de localizar-se à beirinha de um habitat de tantas espécies. Assim como as profundas, amplas e nefastas dragagens no Sado, serão mesmo indispensáveis com Sines e o seu porto de águas profundas ali tão perto?Finalmente, falemos da nossa saúde. Os mais importantes  hospitais da  região,Garcia de Orta e Litoral Alentejano, a falharem nas urgências pediátricas e o tão reclamado Novo Hospital no Seixal a ficar para as calendas, será mesmo ela, a saúde, uma prioridade para quem nos governa?

Poderemos ficar indiferentes perante tudo isto?

Um ano o melhor possível a todos/as.

Comentários

- Pub -