«Museu Salazar»? Não Obrigado!

93
visualizações
Julio Dias – Direcção da União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP)

O velho projeto da reabilitação da figura de Salazar e do fascismo, reaparece de novo, encenado e refugiando-se, desta vez, com designação e dimensão pretensamente mais ampla e com contornos de investigação e critérios académicos mas sem iludir o objectivo prosseguido, de sediar em Santa Comba Dão um “museu” ao ditador Salazar, adoptando a designação de “Centro de Interpretação do Estado Novo”, projecto que a Assembleia da República já condenou em 2007 e agora, de novo, o reafirmou na Comissão Permanente reunida a 11 de Setembro de 2019.

- Pub -

Nesse sentido, é importante que todos os portugueses que se identificam com a luta pela liberdade assinem a referida Petição Pública com o objectivo de solicitar ao Presidente da Assembleia da República e aos Deputados que, no início da nova legislatura, efectuem as diligências necessárias – no respeito pelos valores inscritos na Constituição da República – para que tal ofensa aos portugueses em geral, e em particular à memória dos muitos milhares de vítimas do regime fascista do «Estado Novo», seja definitivamente travada e abandonada.

Considerando os sinais concretos do desenvolvimento de forças fascistas e fascizantes por toda a Europa (e não só), a criação de um museu como o anunciado em Santa Comba Dão, não seria apenas um depósito do espólio do ditador Salazar, mas um centro de conspiração contra a Democracia e o Portugal de Abril.

O “museu” não seria apenas “um local de estudo e um centro interpretativo do Estado Novo” como proclamam os seus defensores, mas sim um instrumento para congregar saudosistas do passado e assumir-se como centro de divulgação e acção enquadradas na matriz corporativa/fascista que a maioria do Povo sofreu sob o auto denominado, “Estado Novo”.

A população do Distrito de Setúbal conheceu, por experiência própria, o que foi a repressão fascista. Ainda hoje, muitos homens e mulheres que muitos de nós conhecemos e respeitamos são testemunhos vivos do que foram as prisões de Salazar e Caetano.

Refira-se, para fazer a história do “Estado Novo” existe já o Museu Nacional Resistência e Liberdade, em Peniche e o Museu do Aljube, em Lisboa, outros que deverão ser abertos, como a antiga cadeia da PIDE na Rua do Heroísmo, no Porto.

Refira-se que a Constituição da República Portuguesa, e outra legielação específica, proíbe todas as organizações que partilhem a ideologia fascista, que mostrem pretender difundir ou difundir efectivamente os valores, os princípios e os métodos característicos dos regimes fascistas, nomeadamente, o corporativismo ou a exaltação das personalidades mais representativas daquele regime.

Porque é necessário continuar a lutar, sob as mais diversas formas, um conjunto de democratas antifascistas, lançaram uma Petição Pública dirigida aos novos eleitos da Assembleia da República.

Apelo pois, para que assinemos a Petição Pública em: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=naoaomuseusalazar

Comentários

- Pub -