A Mitomania

114
visualizações
Maria Amélia Antunes –
Advogada

O mundo está a viver hoje em circunstâncias de grande instabilidade, insegurança, de descrédito das instituições, de falta de confiança no outro, de rumo incerto. Um mundo de vários perigos ,que se  agravou, em particular, desde a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos da América, com as guerras internas no Brasil para levar Bolsonaro ao poder, passando pela Itália, mais recentemente pela Espanha. É a onda da extrema direita e do neo liberalismo, dos populismos, da xenofobia, do capitalismo sem lei, da mentira, da manipulação, que está a querer tomar conta dos países, dominar os povos . A ganância do poder absoluto e do dinheiro.

- Pub -

 

Esta nova realidade vive-se hoje com as devidas proporções e adaptações á escala internacional, nacional, regional e local.

 

Quando menos se espera  aparecem os megalomanos, os mitomanos. Para quem desconhece os conceitos, são indivíduos que têm uma ambição desmedida. São portadores de distúrbios de personalidade que nas definições para alguns encontramos, “a mitomania é um distúrbio de personalidade onde o paciente possui uma tendência compulsiva pela mentira. Trata-se de um individuo que mente compulsivamente. Na mitomania o doente usa a mentira de forma consciente para enganar pessoas e tirar vantagens, em proveito próprio ou prejuízo de outro, de forma imoral e insensível sem sentir necessidade de desfazer o engano. Ele nunca admite as suas mentiras, nem as suas contradições.

O mentiroso, o mitómano não sente nenhum constrangimento quando as suas mentiras são descobertas. Continua a mentir como se nada fosse com ele. Tudo á sua volta é dele, só dele, nunca deixa de ser, mesmo quando as suas mentiras são descobertas.”

 

 

Os indivíduos acometidos destas doenças, destes comportamentos, não medem as consequências dos atos que praticam. Tanto se lhes dá desde que tirem vantagens. Por isso, vivem numa galhofa permanente, boa disposição, configuram mentalmente cenários idílicos onde tudo está sempre bem. Sempre a favor deles. Onde corre tudo bem, onde não falta nada. Estão lá eles para resolver tudo. Sem eles nada nem ninguém existe, ou se realiza.

 

Não lhes interessa a convivência com os problemas humanos, das pessoas. Nada os toca. As pessoas são para estar ao seu serviço, dos seus caprichos, para cumprirem as suas ordens, não interessa quais, para manipular, dizer umas graçolas e umas lérias para entreter e embevecer.  Pare eles está tudo ótimo, não falta nada, corre tudo ás mil maravilhas. O seu paleio é sempre encantador, beijinhos e abraços até fartar. O futuro está recheado de coisas boas que hão-de acontecer. Mesmo inverosímeis hão-de acontecer porque os megalomanos e mitomanos  querem e basta eles quererem!

 

Mas vá lá alguém dizer que não é assim como dizem, contrariar.

Arrasam todos e tudo . Fazem logo uma declaração de guerra e praticam-na. Só falta o assassinato físico. Que por exacerbação alguns  cometem ou mandam cometer. Mas por vezes precisam de um domador a quem obedecer. Tipo  Pavloviano.

 

Estas são  verdades de comportamentos humanos em razão da ciência. Haverá outras por certo, dada a complexidade do tema. Estes indivíduos devem ser colocados no seu devido lugar, isolados no seu meio restrito, sem medo ou receio, pois quando são enfrentados acobardam-se, vitimizam-se, ou usam a bravata. Senão for assim, corre-se o risco de contaminarem tudo á volta. E aí a consequência trará  prejuízos humanos  incalculáveis.

 

Se conhece alguém com este perfil e estiver por perto, combata-o.

Não se deixe  intimidar. A liberdade é um valor a defender!

Comentários

- Pub -