Arlindo Mota apresenta novo livro “Armazém de retém”

13
visualizações

O novo livro do professor e presidente da Universidade Sénior de Setúbal reúne textos originais em prosa e verso

 

- Pub -

 

O Dicionário da Porto Editora define “armazém de retém” como sendo o local “onde se guardam os artigos cuja venda ou utilização pode ser demorada”. Para Arlindo Mota, professor e presidente da Universidade Sénior de Setúbal, o nome justifica-se por histórias e memórias que ecoam em si, que há muito guarda consigo. A apresentação do seu mais recente livro, da editora Folha D’Hera, teve lugar na Biblioteca Municipal de Setúbal na tarde desta terça-feira e contou com sala cheia para conhecer os textos que hoje vivem neste “Armazém de Retém”.

 

“Já tenho perto de duas dezenas de livros publicados e há sempre textos que, por uma razão ou por outra, não pude incluir. Ficavam no tal armazém de retém. Considerei que não cabiam, que não era o momento deles. E este é um pequeno livro onde os reúno e apresento, em que se dá a obra feita”, começa por explicar Arlindo Mota, sobre a origem e o nome da sua mais recente obra, a O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO.

 

Prosa, poesia e partilha de escrita

“Entre a prosa e a poesia, este livro é o resultado de muito trabalho desenvolvido até aqui, retratado em pequenos textos, reflexões, diálogos filosóficos e recordações de infância”, conta, adiantando que entre os textos também marcam presença histórias e situações do quotidiano. Pode ainda dizer-se que a divisão da obra está feita em três partes: a primeira diz respeito aos textos em prosa, a segunda é dedicada aos poemas e a terceira, intitulada “Virtualidades”, é a partilha de poesia que resulta da participação do autor em sites e blogs de literatura. Na tarde de terça-feira, o autor falou sobre esta experiência literária que tem vindo a ter ao longo dos anos na internet e disse que, no fundo, “estes textos são um apelo à reflexão e à partilha com outros escritores e poetas portugueses e brasileiros”, que se pode comprovar na terceira parte da obra.

 

Entre as especificidades deste livro do professor e actual presidente da Universidade Sénior de Setúbal está a sua capa, “que desperta a curiosidade pelas suas cores e que surgiu de uma surpresa”: um e-mail que Arlindo Mota recebeu com o pedido da artista plástica brasileira Karen Campos, que lhe pediu que um poema seu fosse utilizado num trabalho de mestrado que estava a desenvolver. Sob o tema “A casa, as estantes e os livros”, deviam ser apresentadas criações originais e não tradicionais em torno da temática do livro e da casa do escritor. “Luz e sombra” foi o trabalho apresentado pela artista, que no seu livro-janela incluiu várias mensagens e tentou retratar o mundo da literatura, o trabalho e a vida do escritor, entre as quais estão também as palavras do autor português. Hoje, o livro-janela dá cor à capa do livro e na imagem conseguimos encontrar as palavras de Arlindo Mota se olharmos com atenção.

 

Arlindo Mota dividiu o momento com Alice, amiga, leitora curiosa e apreciadora de literatura, que consigo apresentou o livro e brindou a sala com a leitura de textos e poemas. Na sua opinião, o livro “Armazém de Retém” é “uma pérola que convém ler e reler” e “um álbum de memórias, onde está sempre presente o amor, e que diz muito mais sobre o autor do que aquilo que ele possa imaginar”. Porque, nesta obra, “Arlindo Mota traz à tona de água tudo aquilo que o afectou, tudo aquilo que ele considerou importante na sua vida e por isso mesmo este livro diz tanto sobre si”.

Comentários

- Pub -