Patrões adiam reunião que pretendia evitar greve dos estivadores

73
visualizações

Encontro marcado para esta sexta-feira foi adiado para dia 22. Sindicato já avisou que não admite novo adiamento

 

- Pub -

A reunião da comissão paritária do porto de Setúbal prevista para amanhã, sexta-feira, para tentar evitar novo conflito laboral, foi adiada para 22 de Novembro a pedido das associações patronais, mas os estivadores advertem que não aceitam mais adiamentos.

“Devemos desde já deixar bem claro que, em nome dos estivadores que representamos e do interesse em salvaguardar a paz no sector portuário, não podemos voltar a aceitar novo adiamento”, disse, em comunicado, o Sindicato dos Estivadores e Actividade Logística (SEAL).

A reunião que estava agendada para esta sexta-feira tinha sido solicitada pelo sindicato com o objectivo de tentar evitar um novo conflito laboral no porto de Setúbal, face à alegada violação do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) pelo grupo turco Yilport, explica.

Os estivadores do porto de Setúbal, tal como os estivadores do Porto de Lisboa, acusam o grupo Yilport de estar a fazer contratações fora do universo dos 180 trabalhadores que exercem a actividade no porto de Setúbal, alguns em situação de precariedade há 25 anos, no que consideram ser uma clara violação do CCT celebrado na sequência do conflito laboral do final do ano passado, que, praticamente, paralisou o porto de Setúbal mais de um mês.

Em comunicado, o sindicato garante estar “de boa-fé” neste processo, diz ter confiança de que as decisões da comissão paritária serão esclarecedoras e acredita que os “sucessivos adiamentos da reunião foram fruto de factores incontornáveis”, mas reitera que não vai aceitar mais adiamentos uma vez que o pedido de reunião já foi feito no passado dia 28 de Outubro.

“Numa primeira resposta, as associações patronais com lugar na comissão paritária solicitaram-nos que essa reunião não fosse feita com a brevidade que pretendíamos, por não se encontrar em Portugal um dos dois elementos da CP, pedido a que acedemos de imediato, não obstante tal implicar uma espera significativamente superior ao desejável, tendo ficado a referida reunião marcada para amanhã, sexta-feira, dia 15 de Novembro”, relembra o SEAL.

“Ontem [quarta-feira], dia 13 de Novembro, fomos confrontados com novo pedido de adiamento por parte das associações patronais que tinham confirmado a primeira data, desta feita sugerindo o reagendamento para a sexta-feira seguinte, dia 22 de Novembro, por razões que se prendem com a impossibilidade que terão tido em reunir conjuntamente para preparar a reunião da comissão paritária convocada”, acrescenta o comunicado.

O SEAL diz ainda esperar “que o carácter de urgência para a realização desta reunião seja finalmente reconhecido por todas as partes”.

Comentários

- Pub -