Festival “O som da tinta” celebra poesia em Setúbal

42
visualizações

Concertos, conferências, leituras e poemas e uma feira do livro fazem parte da programação do ano zero de “O som da tinta”, o festival de poesia contemporânea da cidade de Setúbal

 

- Pub -

A partir de hoje, e até domingo, Setúbal acolhe o festival de poesia contemporânea “O som da tinta”, homenageando Sophia de Mello Breyner Andresen, no centenário do seu nascimento, e Manuel Gusmão.

 

No seu ano zero, este festival é, segundo a sua organização, “o anúncio e o início da preparação de um evento que assume a pretensão de se afirmar e tornar uma referência no universo literário nacional”.

 

Entre 14 e 17 de Novembro, a Casa da Cultura é invadida pela poesia. Livros de poesia que nem sempre são fáceis de se encontrar aquando de uma visita a uma livraria marcarão presença na feira do livro que integra o festival. A abertura da mesma acontece hoje, pelas 19h00, na Sala José Afonso, no 1º piso da Casa da Cultura e conta com leitura de poemas pelo Grupo de Teatro da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal.

 

Parceira desta iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Setúbal é a livraria setubalense Culsete. “A participação da Culsete, enquanto entidade parceira no âmbito do festival, surgiu na sequência de um convite endereçado pela Câmara Municipal de Setúbal, o qual foi acolhido com bastante entusiasmo, uma vez que vai ao encontro das parcerias que desejamos afirmar bem como da missão que queremos cumprir junto da população”, referem Rita Siborro e Raul Reis, da Culsete, a O SETUBALENSE – DIÁRIO DA REGIÃO.

 

A participação da livraria concretiza-se assim com a disponibilização da feira do livro, que tem especial enfoque em livros dos autores homenageados, Sophia de Mello Breyner Andresen e Manuel Gusmão, mas também de outros autores de poesia contemporânea.

 

Para os actuais responsáveis da Culsete, “este é um importante complemento às actividades do festival. A envolvência do público com a poesia passa por permitir que a poesia possa ser levada para casa, folheada e apreciada ao ritmo de cada um”. É, por isso, “importante promover o envolvimento das pessoas com a poesia, criando ambientes facilitadores da aproximação à linguagem poética e onde a poesia possa ser observada como uma forma de expressão única e insubstituível”. Paralelamente, “a compra de livros de poesia na Culsete dá direito a bilhetes duplos para os espectáculos que decorrerão no Fórum Municipal Luísa Todi no âmbito da programação do festival”, explicam.

Sobre a importância que um evento como este tem para a cidade, Rita e Raul consideram que “Setúbal tem vindo a ser palco de um conjunto de ofertas culturais de elevado interesse e qualidade, pelo que um evento dedicado à poesia se apresenta como um importante contributo para a diversidade destas ofertas. O facto de ser o ano zero, conferindo a esta edição do festival um carácter inaugural é, por si só, relevante no desbravar de terreno para novas áreas e novos públicos”.

 

Durante o festival, decorrem duas conferências: “Sophia: A Lux Aeterna da Poesia”, conduzida pelo professor Armando Carlos Cortez, na sexta-feira, dia 15 de Novembro, às 18h30, e “Manuel Gusmão: A palavra sobre o Mundo” pelo professor Fernando Martinho, no sábado, dia 16, no mesmo horário. Ambas acontecem na Casa da Cultura, com entrada livre.

 

Para além da escrita, a poesia através da música

Durante estes dias, a poesia também sobe também ao palco do Fórum Municipal Luísa Todi em dois concertos.

 

Lisbon Poetry Orchestra, colectivo multidisciplinar de quatro músicos e quatro actores, que celebra e interpreta poesia e a reinventa, também interagindo com o público, actua a 15. Neste espectáculo, a poesia de Sophia de Mello Breyner sai das páginas dos livros para vibrar nos sons e vozes de Lisbon Poetry Orchestra.

 

No dia seguinte, é a vez de Lula Pena, entre a sua voz e a sua guitarra, recuperar o encanto dos trovadores medievais e cantar desde autores anónimos populares a celebrados compositores e poetas nos mais diversos idiomas.

 

Antes desta actuação, será feita uma homenagem ao poeta Manuel Gusmão com declamação de poemas pelo Grupo de Teatro da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, coordenado pelo professor José Gil. Os ingressos para os espetáculos encontram-se à venda no Fórum Municipal Luísa Todi ou online através do site www.bol.pt.

 

Também no dia 15 há concerto de Dead Vortex, pelas 22h00, e tempo para uma sessão livre de leitura de poemas, intitulada “Viajar pela Palavra Poética”, a realizar-se pelas 23h30, ambos na Casa da Cultura – a casa mãe deste festival. A 17 de novembro, domingo, a fechar a programação, o Teatro da Rainha apresenta o Pouso da Poesia na Casa da Cultura. Com entrada livre, esta é uma viagem pela poesia portuguesa, desde o século XIII até aos nossos dias, relembrando também temas de Zeca Afonso, compostos a partir da voz dos poetas.

Comentários

- Pub -