Dragagens no Sado avançam em Dezembro

90
visualizações

Dentro de três semanas as dragagens podem já estar a decorrer. Navio Pearl River é apontado como possível escolha para retirar 3,5 milhões de metros cúbicos do fundo do Sado

 

- Pub -

O secretário de Estado das Infraestrturas e Habitação confirma que as dragagens no Sado avançam em Dezembro. Citado pelo jornal Correio da Manhã, Alberto Souto Miranda, afirma “o projecto é para manter e que as dragagens devem avançar em Dezembro”.

O mês de Dezembro também já havia sido colocado com uma possibilidade pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), no momento em que dirigiu uma comunicação ao Governo, com o objectivo de propor a reavaliação do projecto “Melhoria das Acessibilidades ao Porto de Setúbal”, dado os possíveis impactes ambientais que a dragagem de 3,5 milhões de metros cúbicos de areia pode ter sobre o Estuário do Sado.

Embora a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) não confirme o início das dragagens em Dezembro, em recentes declarações a O Setubalense, Vitor Correia, presidente do Conselho Directivo do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres e vogal do Conselho de Administração do Porto de Setúbal, afirmou que “o avançar do projecto é inevitável”.

Inclusive para a APSS a “Melhoria das Acessibilidades ao Porto de Setúbal” já está em execução desde Abril, quando foi iniciada a obra de extensão do Terminal Roll-On Roll-Off e se procedeu à perfuração da formação geológica da Pedra Furada.

Para os ambientalistas e empresários que se posicionam contra as dragagens, a esperança de que ainda seja possível travar o projecto permanece agora com a providência cautelar interposta pelo Grupo Pestana. A empresa detentora de unidades hoteleiras na região apresentou, em Julho, uma providência cautelar, no Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé, alegando que a continuidade do projecto pode colocar em causa o desenvolvimento económico da região assente no turismo. Um dos últimos recursos para travar o projecto, após o indeferimento das providências cautelares interpostas pela associação ambiental Clube da Arrábida.

 

Pearl River pode ser o navio esperado

 

O navio belga Pearl River é apontado como o potencial autor das dragagens que vão retirar 3,5 milhões de metros cúbicos de areias e lamas do fundo do Sado.

Pearl River realiza dragagens por sucção e tem capacidade para retirar 24 mil metros cúbicos de areias e lamas por cada operação. Em 2018 esteve em actividade no porto do Rio Grande, no Brasil, onde dragou 16 milhões de metros cúbicos de sedimentos do canal de acesso a este porto.

Actualmente, o navio encontra-se estacionado em Taman, na Rússia, para reparações. Por enquanto, o site sobre navegação internacional, Marine Traffic, ainda não confirma Setúbal como o próximo destino do Pearl River, mas tem registo de que na sua navegação anterior, em Junho, passou pelo porto de Setúbal, rumo a Taman, no Mar Negro.

Comentários

- Pub -