Funeral de Dias Pereira deve realizar-se no sábado, em Setúbal

116
visualizações

Família aguarda conclusão de formalidades de transporte do corpo pelo que dia do funeral ainda não é certo

 

- Pub -

O funeral de José Miguel Dias Pereira, advogado e antigo autarca de Setúbal, deve realizar-se no próximo sábado, na cidade, estando a confirmação dependente da chegada do corpo a Portugal, vindo de Moçambique, onde faleceu, na segunda-feira passada.

Ao que O SETUBALENSE apurou, as cerimónias fúnebres estão pensadas, pela família, para o crematório de Setúbal, onde terá lugar também o velório, sendo depois as cinzas depositadas no cemitério da Santa da Misericórdia de Setúbal, um talhão no Cemitério de Nossa senhora da Piedade.

Mas, tanto as horas das cerimónias, como o próprio dia do funeral, não estavam ainda confirmados ontem à hora de fecho desta edição, devido a procedimentos administrativos ainda não concluídos em Maputo. A realização do funeral no sábado depende da expedição atempada da urna, de Moçambique, o que ainda não estava garantido ontem.

Natural de Lisboa, onde nasceu a 31 de Agosto de 1960, José Dias Pereira, de 59 anos, teve uma profunda e intensa relação com a cidade de Setúbal. Exerceu a actividade de advogado, durante muitos anos, mas foi também empresário e esteve na política, ligado ao PSD. Foi deputado municipal de Setúbal, eleito pela primeira vez em 1993, tendo liderado a bancada social-democrata na Assembleia Municipal em vários mandatos após essa data.

Licenciado e mestre em Direito, já em Moçambique, onde residia há uns anos, exercia o cargo de vice-presidente Associação Nacional de juristas de Moçambique (ANJUR) e granjeava o respeito dos profissionais de justiça daquele país, como atesta o voto de pesar da Associação Moçambicanas de Juízes (AMJ), que destacou a sua faceta de “investigador e estudioso multifacetado de ciências jurídicas”.

Esta quinta-feira à tarde é celebrada uma missa, na capital moçambicana, promovida pela Academia do Bacalhau de Maputo, a que Dias Pereira pertencia.

Comentários

- Pub -