Inovar e empreender: com que projectos se faz o futuro do IPS

48
visualizações

Um simulador de voo de uma aeronave, um projecto de educação digital para crianças e a BusinessWeek de Setúbal. Aparentemente, nada têm a ver entre si mas na verdade os três fazem parte do conjunto de projectos empreendedores da instituição de ensino setubalense.

 

- Pub -

O Instituto Politécnico de Setúbal tem vindo a reforçar a sua capacidade de investigação e de prestação de serviços, com empresas e entidades do terceiro sector. Neste sentido, e sobretudo durante a última década, têm sido desenvolvidos vários projectos.

 

Quer em termos financeiros, quer na capacidade de transferência de conhecimento e tecnologia, a realização de projectos assume particular importância nas actividades do IPS, que teve sempre a promoção do empreendedorismo como um dos seus principais objectivos.

 

Na Escola Superior de Tecnologia de Setúbal, o projecto do simulador de voo SEPSII da aeronave Aerospatiale Epsilon TB30 é um dos exemplos a apresentar. A par das áreas da energia e sustentabilidade, por exemplo, que assumem também um papel relevante, com dois projetos H2020, um deles coordenado pelo IPS, no valor de cerca de 4,3 milhões de euros, vários projetos europeus e nacionais e a prestação de serviços na área da certificação de edifícios e qualidade do ar e formação para as agências de energia e projectos em parceria com as autarquias da região.

 

No que às competências digitais diz respeito, destacam-se projectos para a formação de jovens, em parceria com a Google e a SIC Esperança, como é o caso do projecto GEN10S Portugal. Este projecto permitiu formar mais de 6.000 jovens em programação e robótica, com impacto significativo no sucesso escolar, com abrangência continental e insular. Ainda  na área das competências digitais, merece destaque a reconversão de desempregados para as áreas TICE, em parceria com o IEFP, que permitiu formar cerca de 150 licenciados oferecendo-lhes uma nova oportunidade profissional.

 

Na área da saúde, há que destacar o trabalho realizado nas áreas da saúde mental, com o projecto PReSaME a aparecer para dar respostas, da mutilação genital feminina, da terapia da fala e da construção de referenciais de diagnóstico na área e do projecto da Vocologia do Fado, bem como dos trabalhos associados ao movimento humano. O SPLIT, em parceria com o ACES Arrábida, que pretendia personalizar os tratamentos para melhor tratar a Lombalgia, é um destes casos.

 

O projecto Business Week Setúbal, dedicado ao tema do empreendedorismo, pertence à Escola Superior de Ciências Empresariais e a utilização de metodologias de aprendizagem activa e cooperativa no ensino da engenharia é um projecto da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro.

 

Mas esta capacidade de projecção não fica apenas por Portugal. Ultrapassa as fronteiras nacionais. Existe uma forte tradição de cooperação com os países da CPLP, em especial com África, reforçada nos últimos anos com dois projectos relevantes, na área da formação de professores do ensino primário, que envolvem mais de 15.000 docentes, nas várias províncias angolanas, com financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian e do Banco Mundial.

 

Para fechar em grande, a expressão mais visível desta estratégia de empreendedorismo do Instituto Politécnico de Setúbal reside na participação no Projecto Poliempreende, que envolve os Politécnicos Portugueses e que se constitui como a maior rede de empreendedorismo a nível nacional. Este projecto permitiu um forte reconhecimento do IPS, que obteve dois primeiros lugares e um terceiro no concurso nacional, para além do reconhecimento da COTEC, em 2013, com os prémios “Estratégias de Fomento do Empreendedorismo” e “Estratégias de Comercialização da Tecnologia”. O aprofundamento destas actividades conduziu à criação da Incubadora de Ideias IPStartUp, que já acolheu mais de 20 projectos e alberga 3 projectos internacionais no âmbito do projeto Start UP Visa, revelando a capacidade de atracção internacional do IPS para projectos empreendedores, que contribuem para que a instituição de ensino se torne cada vez mais empreendedora.

Comentários

- Pub -