“Festa da Flor está mais ampla, criativa e convidativa”

83
visualizações

Tapete de flores com 12 metros marcou ano de afirmação do evento em Setúbal.

 

- Pub -

A Festa da Flor regressou a Setúbal e segundo a Câmara Municipal, “mais atractiva e participada, com a emblemática Praça de Bocage a ser transformada no principal jardim do certame”. Arte efémera, instalações artísticas e exposições de plantas e de flores foram atracções da 4ª edição do evento.

 

Para a vereadora do Ambiente da Câmara Municipal de Setúbal, Carla Guerreiro, a Festa da Flor é uma aposta ganha. “Uma iniciativa que, nesta quarta edição, se consolidou, mais atractiva e com um maior número de expositores e uma maior intervenção de empresas neste sector económico”.

A vereadora destaca ainda como ponto central a presença de “um município convidado no certame”. Este ano o lugar de honra pertenceu ao município da Horta (Açores). Uma estratégia para que setubalenses e visitantes possam “conhecer as tradições e as riquezas de outras cidades, em particular, no que respeita ao património floral que, no caso da Horta, as hortênsias e as próteas são dois excelentes exemplos”.

Nesta edição foi também dada uma maior primazia à decoração do espaço, “com vários motivos criativos de interesse”, e também à arte efémera, “com o tapete e a mandala floral a serem conduzidos por artistas e apoiados pela participação popular”, destaca Carla Guerreiro.

Tó Romano, entusiasta floral e dinamizador do projeto Eva Dream – Portugal a Florir, que se aliou desde a primeira edição à Festa da Flor de Setúbal revela que, “é recompensador ver que a semente de há quatro anos brotou”. Um momento de significativa evolução, sobre o qual Tó Romano afirma, “a Festa da Flor está mais ampla, criativa e convidativa”.

Tapete de crisântemos

A arte efémera produzida no âmbito da Festa da Flor de Setúbal incluiu, na sua grande maioria, flores da família dos crisântemos. Arranjos de flores dentro de flores, que impressionaram tanto pela dimensão, 12 metros por 6, como pela beleza, fruto de um trabalho meticuloso, de longas horas de preparação, repartido por várias mãos.

“É arte participada, movida pura e simplesmente pela vontade de várias pessoas em colaborar na sua concepção”, explicou a artista Isabel Curto Castan, impulsionadora da criação do tapete floral inspirado na imagem promocional da Festa da Flor deste ano.

Comentários

- Pub -