Iniciativa Liberal defende programa de “Iniciativa Pública”

91
visualizações

Uma visita ao Bairro do Segundo Torrão, na Trafaria, deu motivo para o Iniciativa Liberal avançar com medidas para pôr fim a estes agregados degradados

 

- Pub -

Os candidatos do Partido Iniciativa Liberal do círculo eleitoral de Setúbal às Legislativas, Diogo Prates e Joana Cordeiro, visitaram as instalações do Centro Social da Trafaria da Santa Casa da Misericórdia de Almada, onde recolheram algumas informações sobre o bairro do Segundo Torrão, o maior aglomerado precário do concelho de Almada, onde vivem duas mil pessoas, das quais cerca de 200 são crianças.

A comitiva reuniu com Cláudia Pereira, coordenadora do projecto Contracto Local de Desenvolvimento Social que realiza trabalho social neste bairro, onde obteve informações que vão ajudar a Iniciativa Liberal quer criar um programa de “Iniciativa Pública com Investimento de Natureza Privada [IPINP] para realojar, com dignidade, todos os cidadãos da Península de Setúbal”.

Refere Diogo Prates que “a realidade do Segundo Torrão deveria envergonhar todos os cidadãos, mas sobretudo deveria envergonhar todos os políticos que, tendo cargos e poderes para alterar esta realidade, têm deixado prolongar esta situação e até hoje nada fizeram apesar de todas as promessas”.

Acrescenta o cabeça-de-lista da Iniciativa Liberal no distrito acrescenta que “neste bairro clandestino todas as habitações são ilegais, não existem esgotos, as falhas de luz são recorrentes e a limpeza camarária é praticamente inexistente. E sabemos que este é apenas um dos exemplos da Península de Setúbal”.

Para este tipo de situações, o Iniciativa Liberal propõe uma “solução centrada na responsabilização das pessoas que actualmente vivem nas áreas que carecem de intervenção”, no distrito esta passa por “realojamento das famílias concretizado através do incentivo à criação de cooperativas de habitação e construção, onde os moradores seriam os responsáveis pela construção e arrendamento de novas”. Outro caminho é pelo “arrendamento das novas habitações construídas através de uma Iniciativa Pública com Investimento de Natureza Privada. O arrendamento é efectuado através de um programa de rendas acessíveis, com opção de compra condicionada.

De forma a aumentar o compromisso dos beneficiários com esta medida, o Iniciativa Liberal defende um “conjunto de obrigações” que passam, por exemplo, pelo “cumprimento do pagamento das rendas ou das prestações”, ainda a “inscrição de todas as crianças dos agregados familiares no ensino obrigatório” e “preservação dos imóveis e das partes comuns”.

Comentários

- Pub -