Setúbal reconhece gente que mexe com a cidade

190
visualizações

A 15 de Setembro Setúbal comemora O Dia do Bocage. É o dia do poeta e da Cidade e, este ano, a Câmara dedica a maior homenagem do município a outro poeta. Não sadino mas de Setúbal por adopção, José Afonso viveu e marcou a Cidade

São 33 as personalidades que este ano vão ser homenageadas pela Câmara de Setúbal com medalhas honoríficas da cidade. As distinções foram decididas pelos eleitos em reunião de Câmara, que consideraram para esta lista seis entidades do concelho.
Entre as insígnias a serem entregues a 15 de Setembro, Dia de Bocage e feriado municipal, é feito reconhecimento a título póstumo a três personalidades que não sendo naturais de Setúbal deixaram marca na vida sadina. O cantor e poeta Zeca Afonso (Aveiro), o fundador do Núcleo de Poesia de Setúbal, Henrique Mateus (Grândola) e o político – militante e dirigente do PCP – e homem de cultura Ruben de Carvalho (Lisboa).
As Medalhas Honoríficas da Cidade visam distinguir a actividade desenvolvida no concelho por personalidades e instituições “de forma particularmente notória e nas mais diversas áreas, em algum momento da história local, ou continuadamente”, refere a deliberação camarária.
Define o Regulamento Municipal, que estas distinções só podem ser entregues a pessoas ou instituições que, “tendo prestado ao concelho ou à nação serviços relevantes, gozem de extraordinário prestígio social pelos elevados dotes que as distingam sob o aspecto intelectual ou artístico, ou pelos actos de benemerência ou feitos desportivos que tenham realizado”.
Na parte da lista referente a instituições, os partidos que compõem o executivo e a oposição votaram por unanimidade atribuir ao Hospital de São Bernardo, em Setúbal a Medalha de Prata da Cidade. Instituição que este ano está a comemorar 60 anos de existência. As outras cinco instituições são distinguidas com a Medalha de Honra da Cidade; são elas a Escola Secundária du Bocage, a Associação de Ténis de Mesa de Setúbal, o Centro Ciclista Azeitonense, a Associação de Solidariedade Social de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra e ainda a Uniseti – Universidade Sénior de Setúbal.
O reconhecimento de maior relevo vai este ano para José Afonso a quem foi atribuída a Medalha de Ouro da Cidade, a mais alta distinção que o município pode conceder. Consequentemente o cantor pela Liberdade recebe também título de Cidadão Honorário de Setúbal, “pelo seu papel na transformação do Portugal livre e democrático”.
A Medalha de Honra da Cidade é repartida por diferentes classes, consoante os quadrantes do panorama social em que se destacaram personalidades e instituições.
Na classe Actividades Culturais, o município distingue o historiador Albérico Afonso Costa Alho, os artistas plásticos Andreas Stöcklein, autor dos painéis de azulejos que cobrem as paredes do túnel do Quebedo, e José Matos Cardoso, a cantora Celina da Piedade, e, a título póstumo, o fundador do Núcleo de Poesia de Setúbal, Henrique Mateus.

- Pub -

Nesta classe são, igualmente, agraciados a professora e directora do Coral Infantil de Setúbal, Isabel Mendes, o escultor João Duarte, o actor e encenador José Maria Dias e a professora e proprietária da galeria de arte Casa da Avenida Maria João Frade.
Na classe Ciência e Tecnologia, para além de alguns profissionais de saúde do Hospital de São Bernardo, é distinguida a Escola Secundária du Bocage e os biólogos José da Costa Pereira e Raquel Gaspar.
No Desporto, são distinguidos com a Medalha de Honra da Cidade em 2019 os treinadores de futebol do Sport Lisboa e Benfica Bruno Miguel Silva do Nascimento, mais conhecido como Bruno Lage e Alexandre Raminhas da Silva.
A Associação de Ténis de Mesa de Setúbal, a comemorar 75 anos, o Centro Ciclista Azeitonense, que assinala 25 anos em 2019, os dirigentes associativos Estêvão Monteiro Coutinho, Henrique Santos, Joaquim José Cambolas Marques dos Santos e João Botelho e o professor Nuno Miguel Cremon de Lemos são, igualmente, agraciados na classe Desporto.
Na classe Associativismo e Sindicalismo são distinguidos a Associação de Solidariedade Social de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, o fundador do Externato Rumo ao Sucesso, Diamantino dos Ramos Afonso, os dirigentes associativos Nuno Guerreiro Soares, Sertório Herrera e José Colaço da Silva, o antigo dirigente sindical e associativo Possidónio Chitas e a UNISETI – Universidade Sénior de Setúbal.
Na classe Paz e Liberdade é reconhecido, a título póstumo, o antigo vereador da Câmara Municipal de Setúbal Ruben de Carvalho e, na classe Turismo, é agraciado outro antigo vereador da autarquia sadina Duarte Machado.
O empresário da restauração Manuel Octávio Teixeira e o decorador de interiores e embaixador da Cidade de Setúbal João Maria são distinguidos na classe Comércio.

 

Autarquia dá Prata aos 60 anos do São Bernardo

Hospital de São Bernardo

Em 1953 era decidida a necessidade de construir de um hospital em Setúbal, é então que a partir do Hospital do Espírito Santo da Santa Casa da Misericórdia, nasce o Hospital de São Bernardo virado para o futuro e para a saúde dos utentes.
Dois anos depois o projecto começa a ser erguido no terreno do antigo lugar da Vinha e muito é conseguido através do benemérito Antoine Velge que na altura avançou com 4 mil contos para a obra. A 9 de Maio de 1959, o São Bernardo era inaugurado com honras de Estado.
60 anos depois a administração do hospital anuncia a construção de um novo edifício anexo ao existente. São 17 milhões de euros que vão alargar a capacidade de resposta desta unidade. Neste mesmo ano a Câmara de Setúbal decide atribuir ao Hospital de São Bernardo a Medalha de Prata da Cidade.
A 15 de Setembro, também alguns profissionais desta unidade vão ser distinguidos pela autarquia. Na classe Ciência e Tecnologia recebem a Medalha de Honra da Cidade o director do Serviço do Serviço de Pediatria Médica e do Departamento da Mulher e da Criança do Hospital de São Bernardo, Luís Caturra, o oftalmologista David Martins.
Nesta classe são, igualmente, atribuídas medalhas honoríficas aos médicos cardiologistas Quitéria Rato, Ricardo de Almeida Santos e Luís Soares.

 

Cidade eleva cantor da Liberdade a Cidadão Honorário

Zeca Afonso

Nascido na freguesia aveirense da Glória a 2 de Agosto de 1926, José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, que ficou conhecido Zeca Afonso, fez da sua vida arte e luta pela Liberdade. Estudou em Coimbra, cumpriu o serviço militar, passou por Angola, e por países como França e Inglaterra. Foi professor em várias escolas em Portugal e, ao mesmo tempo, dedicava-se a escrever, tocar e interpretar canções que apelavam à luta do povo contra o regime opressor do Estado Novo.
Em 1967 é colocado numa escola em Setúbal e veio a adoptar a cidade para residir e mais tarde Azeitão, onde veio a adoecer com esclerose lateral amiotrófica. A 23 de Fevereiro de 1987 morre no Hospital de São Bernardo e é sepultado no Cemitério de Nossa Senhora da Piedade.
A presença em Setúbal desta figura ímpar da cultura, da música e da política portuguesa e internacional fez-se sentir ao longo de duas décadas, tendo sido um dos fundadores do Círculo Cultural de Setúbal”, sublinha a autarquia referindo-se à deliberação camarária.
Reconhecido por vários sectores da sociedade cultural e política portuguesa, caso da Ordem da Liberdade atribuída por Ramalho Eanes quando Presidente da República, recebe agora, a título póstumo, a Medalha de Ouro da Cidade e de Cidadão Honorário de Setúbal “pelo seu papel na transformação do Portugal livre e democrático”, refere a Câmara de Setúbal.

 

Honra pela dedicação à investigação e ensino

Albérico Afonso

Natural de Setúbal, nasceu a 26 de Setembro de 1951, Albérico Afonso Costa Alho é um conceituado historiador com vasta obra publicada sobre Setúbal. Doutorado em História Contemporânea, na especialidade de História Cultural e das Mentalidades pela Universidade Nova de Lisboa (UNL), tem colaborado e coordenado projectos na área da formação de professores e formação profissional.
Um dos seus mais recentes trabalhos de investigação, com publicação prevista para meados do mês que vem, é sobre os lugares preferidos de Zeca Afonso em Setúbal. Uma obra que obrigou a contactar com várias pessoas que acompanhavam habitualmente o cantor.
Membro fundador do Centro de Estudos Bocagianos e da Associação José Afonso, é investigador da no Instituto de História Contemporânea da UNL e membro da Network for Studies on Corporatism and the Organized Interests. Entre outras funções, é coordenador do Departamento de Ciências Sociais e Pedagógicas e membro do Conselho Técnico Científico da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal.
Vai receber a Medalha de Honra da Cidade na classe de Actividades Culturais.

 

Mérito pela divulgação da música tradicional

Celina da Piedade

Começou a estudar música com cinco anos, passou pelo Conservatório Regional de Setúbal, licenciou-se em Património Cultural e fez a pós-graduação em Estudos de Música Popular. Natural da região de Setúbal, Celina da Piedade é dona de um enorme carisma tendo levado o seu acordeão e voz a vários palcos, sempre expressando a música de raiz portuguesa e elevando-a a uma maior universalidade.
Em 1998 conheceu a Associação PédeXumbo, com que ainda colabora, e da qual é presidente honorária. Dois anos depois passou a integrar, e até ao presente, o Cinema Ensemble de Rodrigo Leão actuando em todos os concertos e discos do cantor.
Com participação como artista e compositora em mais de meia centena de edições discográficas, para além de bandas sonoras para cinema, teatro e dança, em 2017 está no Festival da Canção tendo sido finalista com o tema “Primavera”, no ano seguinte integrou a 8.ª edição do Festival Música de Setúbal.
Agraciada com a Medalha de Honra da Cidade, Celina actualmente integra o colectivo “Tais Quais” com Vitorino, Tim, Sebastião, Serafim, Jorge Palma, Paulo Ribeiro e João Gil.

 

Dedicação ao associativismo popular

Nuno Guerreiro Soares

Sócio de Mérito dos Amarelos, designado em 2016, distinguido pela Associação de Futebol de Setúbal em 2017 pelo trabalho feito em prol do desenvolvimento do futebol juvenil, Nuno Paulo da Rosa Guerreiro Soares, nascido em Setúbal a 22 de Março de 1972, vai receber da Câmara Municipal a Medalha de Honra da Cidade na classe Associativismo e Sindicalismo.
Técnico Profissional de Arquivo, Licenciado em Animação e Intervenção Sociocultural pela Escola Superior de Educação de Setúbal, é pós-graduado em Práticas Culturais para Municípios e mestrando em Educação Social e Intervenção Comunitária.
Desde 1989 que tem cargos de dirigente no Grupo Desportivo os Amarelos, tendo feito parte da direcção do clube de 2005 a 2011, cargo que voltou a desempenhar este ano. É ainda presidente da direcção da Associação dos Acordeonistas de Portugal, Tesoureiro da Delegação Regional do Sado da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Animação Sociocultural e, entre outras actividades, é presidente da Assembleia Geral da Associação Geral da Associação das Festas Populares de São Sebastião.

Comentários

- Pub -