Plano distrital de combate a fogos já está a funcionar

46
visualizações

Elísio Oliveira, Comandante Operacional Distrital de Setúbal, promete apresentação pública para os próximos dias e sublinha: ‘A nossa preocupação foi ter o plano pronto’

 

- Pub -

 

 

O Plano Operacional Distrital de Combate a Incêndios Rurais já está “pronto, aprovado, homologado e foi distribuído a todas as entidades competentes”, encontrando-se em “perfeito funcionamento, de acordo com a Directiva Operacional Nacional”. A garantia foi ontem dada pelo Comandante Operacional Distrital (CODIS) de Setúbal, Elísio Oliveira, a O SETUBALENSE, desmitificando o facto de o plano não ter sido ainda apresentado publicamente, o que irá acontecer nos próximos dias, “obrigatoriamente” antes do início da Fase Charlie – época mais crítica de combate aos fogos florestais que habitualmente se inicia a 1 de Julho.

“Estamos a preparar a apresentação. Mas aquilo que diz a directiva nacional – e não a lei – não é que seja uma apresentação pública, mas sim uma apresentação para todas as agências e entidades, onde serão convidados os órgãos de Comunicação Social”, explicou o responsável, rectificando assim a notícia da Lusa, publicada ‘online’ também por o DIÁRIO DA REGIÃO – SETUBALENSE, a dar conta de que pelo menos metade dos planos operacionais distritais de combate a incêndios rurais deste ano (Aveiro, Beja, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Portalegre, Porto, Viana do Castelo e Vila Real) foram apresentados fora do prazo previsto por lei, até 14 de Maio, além de Setúbal que irá ainda fazer a apresentação.

“A nossa preocupação foi ter o plano devidamente pronto e aprovado de acordo com a directiva nacional”, disse Elísio Oliveira, reforçando: “Todos os elementos que concorrem para a defesa da floresta têm conhecimento do plano, tanto que todas as respostas têm sido devidamente articuladas. Já temos o helicóptero no Montijo em funcionamento, está tudo a funcionar em pleno e, portanto, as pessoas sabem como se articulam. Temos ainda aqui o reforço das Equipas de Intervenção Permanente e a única coisa que falta é, eventualmente, considerar aqui a possibilidade de [apresentação aos] jornalistas”.

Possibilidade que o responsável confirmou que irá acontecer “nos próximos dias”, antes do início da Fase Charlie “obrigatoriamente”.

Cascade’ 19 obrigou a esforço

Elísio Oliveira salientou a concluir que o plano “foi preparado e acordado com todos os intervenientes”, lembrando ainda o envolvimento “de todos” os agentes – “não só da Autoridade Nacional de Protecção Civil”, vincou – no exercício europeu Cascade’ 19. “Foi uma acção de extrema relevância, que obrigou também a um trabalho esforçado de toda gente, que foi reconhecido”, rematou.

Recorde-se que os planos operacionais distritais referem-se ao planeamento de defesa da floresta contra incêndios da responsabilidade do ICNF, enquanto que o Plano de Operações Distrital (PLANOP) é da responsabilidade do Comandante Operacional Distrital (CODIS). Este último encontra-se estipulado pela Directiva Operacional n.º 2, para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.

Importa ainda salientar que, relativamente ao concelho de Setúbal, a Câmara Municipal tem actualmente o planeamento municipal de defesa da floresta devidamente actualizado.

 

 

Montijo e Grândola com hélis de ataque

Englobado no plano operacional para o distrito de Setúbal, em termos de meios de combate aos incêndios florestais, foi colocado um helicóptero de ataque inicial aos fogos na Base Aérea n.º 6, no Montijo. A aeronave está operacional desde o passado sábado na base montijense, onde permanecerá até 31 de Outubro, e tem um raio de alcance de 40 quilómetros, podendo assegurar missões a concelhos limítrofes. Ainda no distrito, Grândola, recorde-se, também conta com outro helicóptero para as mesmas funções.

 

 

Comentários

- Pub -