TST reforça carreiras que ligam Moita, Montijo e Alcochete a Lisboa

159
visualizações
Frio adia teste ao plano
Os autocarros já circulam, mas o tempo frio tem afastado as pessoas das praias.

As carreiras 333 (liga Vale da Amoreira a Lisboa), 416 (entre Canha a Montijo), 431 e 435 (ligam Montijo, Alcochete e Samouco a Lisboa) apresentam novidades nos horários

 

- Pub -

 

 

A Transportes Sul do Tejo (TST) vai reforçar os horários de quatro carreiras, das quais três estabelecem a ligação entre Alcochete, Moita e Montijo a Lisboa, a partir de hoje, anunciou a empresa.

Em comunicado, a rodoviária da Península de Setúbal adiantou que serão reforçadas as carreiras números 333, que liga o Vale da Amoreira, na Moita, à Gare do Oriente, em Lisboa, a 416, que transporta os passageiros entre as freguesias de Canha e Montijo, a 431, com ligação entre o Montijo e Lisboa e, ainda, a 435 que permite o transporte entre o Samouco, em Alcochete, e Lisboa.

No total, são “mais 17 circulações, por dia útil”, que têm o objectivo de “promover uma melhor mobilidade aos clientes”, segundo a TST.

De acordo com informação disponibilizada na página da empresa (www.tsuldotejo.pt), a carreira 333 passa a ter quatro novos horários durante as horas de ponta em dias úteis, entre as 06h00 e as 08h00 a partir do Vale da Amoreira, na Moita, e entre as 17h00 e as 19h00, na Gare do Oriente, em Lisboa.

Já na carreira 431, as partidas do Montijo mantêm-se iguais, mudando apenas alguns horários de Lisboa que anteriormente não funcionavam em Agosto, entre as 16h00 e as 17h00. Também foram acrescentadas ligações às 19h15 e às 23h15.

No caso da 416, a única alteração é a nova partida de Canha, com destino ao Montijo, às 08h15, enquanto a 435 não esclarece quais as novidades no percurso.

 

Greve agendada

 

Na segunda-feira, 20, cerca de 250 trabalhadores da TST concentraram-se em protesto em Almada contra os “ordenados mais baixos” do sector na Área Metropolitana de Lisboa, reivindicando melhores condições laborais.

Estes profissionais têm um ordenado base de 673 euros e já convocaram três paralisações de 48 horas, estando prevista uma quarta para 11 e 12 de Junho, reivindicando o aumento até 750 euros.

A TST, detida pelo grupo Arriva, desenvolve a sua actividade na Península de Setúbal, com 190 carreiras e oficinas em quatro concelhos, designadamente Almada, Moita, Sesimbra e Setúbal. Lusa

Comentários

- Pub -