PSD reivindica Unidade de Saúde Móvel para Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra

20
visualizações

A aquisição de uma Unidade de Saúde Móvel para a freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra surge como solução depois de três décadas de reivindicação e espera, por um Centro de Saúde

 

- Pub -

Actualmente, a população de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra recorre à Unidade de Saúde Familiar do Sado, localizada no Faralhão, ou à Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de S. Sebastião, localizada no Vale do Cobro, para ter acesso a cuidados de saúde primários. Distâncias que Pedro Vieitas Antunes, representante do PSD na Assembleia de Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra, destaca como estando agravadas devido ao de facto de a cobertura de transportes públicos “ser insuficiente”, dentro da freguesia e para fora da freguesia. “Ainda mais tendo em conta que se trata de uma área do concelho onde reside uma faixa de população bastante envelhecida”.
Amanhã, o vereador Nuno Carvalho apresenta em Sessão de Câmara uma proposta para criação de uma Unidade de Saúde Móvel.
Uma unidade que pode ser adquirida com o co-financiamento, “até um 80% do valor da Unidade Saúde Móvel pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional”, comenta o PSD ao jornal O SETUBALENSE-DIÁRIO DA REGIÃO.
A proposta surge no seguimento de uma insatisfação que a população há muito manifesta, no que diz respeito ao acesso aos cuidados de saúde primários, sendo a única freguesia do concelho que não tem uma Unidade de Cuidados de Saúde no seu território.
Deste modo, e considerando que não se encontra prevista a construção de qualquer equipamento de prestação de cuidados de saúde num futuro próximo na área geográfica da freguesia, o PSD apresenta esta proposta para que seja realizado protocolo entre o município de Setúbal e a Administração Regional de Saúde que permita a aquisição de uma Unidade de Saúde Móvel para servir a população da freguesia de Gâmbia, Ponte e Alto da Guerra, a fim de proporcionar aos fregueses “o acesso a cuidados de saúde que lhe têm sido negados neste 33 anos da sua criação”.
As Unidades de Saúde Móvel permitem levar os cuidados médicos ao domicílio de uma população mais vulnerável e frágil, promovendo um acompanhamento mais assíduo e próximo de cada caso, com um maior tempo para a avaliação da situação clínica de cada pessoa, permitindo a integração do doente na sua realidade habitacional, familiar e social.

Comentários

- Pub -