Caldeirada a bordo do Amoroso encanta convidados

120
visualizações
rbsh

A Câmara do Seixal convidou várias entidades para um passeio no Tejo com caldeirada a bordo. Um momento único que elevou ainda mais o potencial turístico de um concelho que o presidente da Câmara diz ter “uma beleza natural”

 

- Pub -

 

 

Uma caldeirada a bordo do varino Amoroso. Foi assim que ontem a Câmara do Seixal respondeu ao desfio lançado por algumas entidades a quando do convite ao concelho para estar em destaque na última Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que se realizou em Março na Feira Industrial de Lisboa (FIL).

“Foi uma oportunidade para demonstrar à organização da BTL e direcção da FIL que o Seixal tem vários recursos turísticos, nomeadamente o varino, e agora também um bote fragata, que permite realizar estes passeios pelo Tejo e, ao mesmo tempo, servir estes pratos típicos como é a caldeirada a bordo de uma embarcação típica numa viagem pelo rio”, diz o presidente da Câmara.

Joaquim Santos foi a primeira vez que comeu uma caldeirada a bordo de um varino e logo fundeado de frente para “o concelho mais bonito do arco ribeirinho do Tejo”, diz olhando sobre o espelho de água da baía do Seixal; “a praça do município tem uma beleza natural que se destaca na margem sul”, acrescenta.

Este potencial turístico da baía, que o autarca refere estar à disposição de visitantes nacionais e internacionais, é também uma mais valia para a directora da FIL que reconhece no Seixal um concelho com perfil para integrar várias feiras temáticas que promovem o país. “Temos uma parceria longa com imensas valências”, comentava Fátima Vila Maior.

As características do Seixal como atractivo de turismo foi também destacado por Clara Pereira, Diretora do Núcleo Promoção Turística da Entidade Regional de Turismo de Lisboa, que vê no município uma mais valia para a captação de turistas para a região.

Entre os presentes neste grupo de 25 pessoas que ontem seguiram num passeio no Tejo com caldeirada à mesa, estiveram para além de vereadores, o presidente da Associação de Comércio Indústria, Serviços e Turismo do Distrito de Setúbal – Delegação do Seixal, Isaú Maia, Raul Rebelo do Grupo Monte Verde e Cecile Gonçalves do Grupo Libertas, este último que vai construir o Hotel Mundet.

 

 

Caldeirada de três peixes com segredo do chefe e magia do Tejo

Se a beleza da baía captava atenções, o cheiro da caldeirada cozinhada a bordo chamou para a mesa e, às 14h30, os pratos começaram a chegar à mesa. Caldeirada de três peixes, raía, tamboril e pata roxa confecionada pela mão de Luís Cardoso, mas que todos chamam de Filipe.

Chefe de cozinha durante 21 anos, foi inclusivamente consultor do restaurante Mundet Factory, veio para os varinos por “gosto de estar com o rio”. Com 40 anos, diz-se filho da beira rio do Seixal e, o carinho pela terra que lhe foi berço é tanto que, em volta do braço direito tem tatuado o casario da baia, e mais junto ao ombro, o varino Amoroso.

“Todos os peixes foram escolhidos e arranjados por mim”, foram “comprados inteiros”, afirma. Depois de arranjados vão para o tacho numa ordem precisa que começa pela cebola, tomate, batata uns segredos do chefe, o peixe e por cima os fígados do peixe. “E não é mexida”, ensina, e a sorrir diz que a caldeira “ um dos pratos mais fáceis de fazer”, a diferença, “São os tais segredos do chefe”, e diz: “também do Tejo”

 

 

Comentários

- Pub -