Operacionalidade dos Bombeiros do reforçada com nova secção

43
visualizações

O último sábado, Dia Municipal dos Bombeiros e de S. Pedro, foi de festa para a corporação, para as populações e para quem tornou realidade este avanço no combate aos fogos e auxílio aos cidadãos

 

- Pub -

 

Foi solenemente inaugurada, no sábado, a Secção de Fernão Ferro dos Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal. A nova estrutura localiza-se à esquerda da estrada Seixal-Sesimbra, na zona da Flor da Mata. Lembre-se que sábado foi dia de S. Pedro, padroeiro do Seixal, e Dia Municipal do Bombeiro, pelo que dificilmente se encontraria data mais adequada para activar esta unidade socorrista.

As cerimónias que envolveram a inauguração iniciaram-se com a deposição de uma coroa de flores no grupo escultórico que homenageia os “soldados da paz”, na frente ribeirinha de Arrentela, a que se seguiu um desfile pelas ruas de Fernão Ferro protagonizado pela Banda da Sociedade Filarmónica União Arrentelense.

Localização excelente

Este novo destacamento dos bombeiros goza de uma localização excelente, pois separa-o segundos do nó da A33 e escassos minutos da A2. Acresce que o Hospital do Seixal, tantas vezes prometido pelo Poder Central, se erguerá na mesma zona, o que facilitará muito o acesso a casos de urgência.

Para o novo edifício está prevista a transferência da 2.ª Secção da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal, de Foros de Amora, onde funciona presentemente uma extensão da Escola Nacional de Bombeiros.

Estas novas instalações, que possibilitarão “expandir a presença do corpo de bombeiros junto da comunidade, tornando a sua actuação mais próxima da população e perspectivando a optimização da sua eficácia”, alberga parque coberto para as viaturas operacionais, áreas de comando e apoio, bem como outras necessárias à actividade normal de um corpo de bombeiros.

A Câmara do Seixal investiu no equipamento 439 mil euros, além de ter disponibilizado o terreno e custeado o projecto, enquanto 351 mil foram canalizados pelos fundos comunitários do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência do Uso de Recursos.

“Há que exigir mais do Poder Central”

Durante o momento protocolar, que juntou responsáveis locais, distritais e nacionais dos Bombeiros, autarcas e outras figuras institucionais, bem como bombeiros e populares, Joaquim Santos, presidente da Câmara do Seixal, recordou que, “há precisamente dois anos, foram inauguradas as instalações dos bombeiros em Foros de Amora e lançada a primeira pedra desta secção” e aproveitou a ocasião para manifestar o seu desagradado com o “chumbo” do Orçamento Municipal para 2019. Mas, perante a obra feita, prosseguiu, “é com um sorriso nos lábios que dizemos a essas pessoas que estavam erradas e que está na altura de emendarem o erro”. É que, segundo o autarca, há muitas coisas que urgem, em Fernão Ferro, por exemplo, a escola para o 1.º ciclo e secundário ou o lar de idosos, já com terreno destinado e um milhão de euros, “logo que o orçamento seja aprovado”. O grave, adiantou, “é que o Ministério da Educação não tem nada previsto”, e os miúdos de Fernão Ferro continuam a ter de se “deslocar a outras freguesias ou até outros concelhos, se querem frequentar a escola”. Na verdade, “há um desequilíbrio entre aquilo que nós damos à sociedade e aquilo que o Estado dá, um desequilíbrio que tem de ser corrigido”.

A construção do Hospital do Seixal, “prioritária no princípio do mandato deste Governo”, mereceu também um comentário de Joaquim Santos. “Afinal, nesta altura, ainda nem sequer o projecto foi escolhido. Dizem-nos que só em Novembro”. Por isso, a “luta vai continuar, que o digam o Poder Local, a população ou os bombeiros”. Em jeito de conclusão: “Há que exigir uma maior intervenção do Estado no apoio às populações e aos bombeiros”.

O presidente da Assembleia Municipal, Alfredo Monteiro, realçou que autarquia é, a nível do país, das que “mais apoia os bombeiros, designadamente, em termos financeiros”. Por conseguinte, perante o que se tem feito, “temos o direito de exigir ao Estado que eleve a sua comparticipação” neste particular.

 

José Raimundo, comandante dos Bombeiros Mistos do Seixal, afirmou-se feliz por estar “mais perto dos cidadãos que precisam de nós”, o que “só foi possível com o apoio da Câmara do Seixal”, enquanto Brázio Romeiro, presidente da direcção da entidade, assegurou que esta “fará tudo para não desfraldar a confiança” que nela depositaram.

Mais adiante, João Ludovico, da Federação dos Bombeiros do Distrito de Setúbal, salientou que a Câmara do Seixal é “uma referência no distrito e no país no que respeita ao apoio aos bombeiros”. Outro interveniente, Eduardo Correia, vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, declarou nada valerem as “loas das instituições se estas não respeitam o contrato social que firmaram com os bombeiros”. E mais. “No balanço entre o dar e o haver, é justo e importante que o Estado olhe para os que mais concorrem para a segurança dos cidadãos”.

Ficou-se também a saber, por intermédio de Elísio de Oliveira, comandante da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, que esta corporação teve um desempenho notável num exercício internacional realizado recentemente.

J.A.

Comentários

- Pub -