Gastronomia assume-se como rainha do evento

20
visualizações

Associação das Festas soube precaver-se contra a chuva e mobilizou as iniciativas para as duas salas da SIM

 

- Pub -

Os quatro dias das Festas de Todos os Santos ficaram marcados pela chuva que fez questão de marcar presença, mas valeu a precaução da associação que “canalizou” as iniciativas para as duas salas da Sociedade de Instrução Musical (SIM). Aí decorreram os concertos, a festa da gastronomia e as exposições de artesanato, que mobilizaram o público, que não se assustou com o mau tempo.

Com muitas surpresas, a principal foi a apresentação do novo maestro, que fez uma dupla estreia: ser maestro pela primeira vez e fazê-lo na aldeia de Quinta do Anjo.

Carlos Lourenço, 37 anos, é professor de viola de arco e violino no Conservatório de Música de Palmela e confessa que levou algum tempo a assumir o cargo. “Demorei a aceitar o convite, mas estou a adorar este trabalho”, confessou o novo maestro, acrescentando: “Senti enorme emoção por acompanhar a procissão da Nossa Senhora da Redenção”.

“Estudei na Covilhã e já ouvia falar muito de Palmela e das bandas filarmónicas. Quando aqui cheguei deparei-me com uma terra onde se respira música e a candidatura a Cidade Criativa da Música será mais um trampolim para afirmar Palmela nas suas raízes musicais”, sublinhou a concluir.

Gastronomia com forte adesão do público

 

Se os concertos mobilizaram a atenção do público, a feira da gastronomia atraiu largas centenas de apreciadores, que degustaram a sopa caramela, a sopa de coentros, a carne à portuguesa, o bacalhau com natas, o ensopado de borrego, o peixe frito com açorda, o bacalhau com espinafres e a carne assada no forno. Mas também as sobremesas caseiras, com destaque para o arroz doce com leite de ovelha, foram rapidamente devoradas sem medo das dietas.

O desporto contou com várias iniciativas desde o futebol às caminhadas, mas as cavalhadas e o passeio de BTT foram as que mais mobilizaram participantes.

 

Aldeia mantém as tradições

 

O presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, António Mestre, considera que a importância das festas “é continuarem a manter as tradições da aldeia, que contam com o empenho da população”.

Já Álvaro Amaro, presidente da Câmara, sublinhou o facto de esta que é uma das festas mais antigas do concelho realizar-se “num local com história e tradição do lugar de Bacelos”, continuando “a mobilizar a comunidade em torno das tradições, mas a pensar no futuro”.

 

Balanço muito positivo

 

Fernando Camolas, presidente da Associação das Festas, fez um “balanço muito positivo”, destacando que “nem a chuva conseguiu desmobilizar os visitantes, que encheram as salas da SIM todas as noites”. O dirigente associativo realçou ainda “a enorme adesão da população que encheu as ruas da aldeia durante as procissões”. Por último, Fernando Camolas sublinhou: “Servimos refeições todas as noites e a iniciativa foi um verdadeiro sucesso, que iremos continuar”.

Comentários

- Pub -