Adegas queixam-se da falta de promoção

70
visualizações

Iniciativa mereceu nota positiva, mas podia ter sido um sucesso. Vendas não foram significativas e faltou animação para atrair visitantes

 

- Pub -

Os representantes das seis adegas do concelho de Palmela, que participaram na 2.ª edição do Mercado dos Vinhos, realizada entre a última sexta-feira e domingo passado, no Mercado Municipal de Pinhal Novo, fazem um balanço positivo ao evento, mas admitem que “houve falta de promoção”.

Arciolinda dos Vinhos Ti Bento considera que o Mercado “teve a parte positiva de darmos a conhecer os nossos vinhos, mas as vendas não foram significativas”.

Também Ana Maria Lobo da Casa Agrícola Assis Lobo, que participou nas duas edições, não deixa de referir que “começa a haver a fidelização dos clientes e se houvesse um pouco mais de promoção teria sido um sucesso”.

A Casa Ermelinda Freitas esteve representada por Vítor Santos, que começou por destacar “a grande qualidade dos vinhos deste ano”, com o enólogo a recomendar “a compra da colheita de 2019”.

Para Vítor Santos, o Mercado de Vinhos do Pinhal Novo devia ser encarado de uma outra forma. “É um evento onde damos a provar os nossos vinhos, mas os organizadores deviam encarar com mais dinamismo este evento onde faltou um pouco de animação que atraísse os visitantes”, apontou. Ao mesmo tempo aproveitou para revelar que “os vinhos verdes Dona Ermelinda Reserva já estão à venda”, anunciando ainda: “A Casa Ermelinda Freitas assinala no próximo ano o 100.º aniversário, onde teremos novidades do tinto reserva especial de Ourém, que foi um projecto diferente para esta zona”.

O Mercado de Vinhos foi organizado pela Câmara de Palmela com o apoio da Casa Mãe e contou com a participação das adegas ASL Tomé, Assis Lobo, Casa Ermelinda Freitas, Sociedade Agrícola Ti Bento, Casa DuPó e Damasceno Wines.

Comentários

- Pub -