Jornadas Europeias do Património ao rimo da música

40
visualizações

As Jornadas Europeias do Património, promovidas pela Câmara Municipal de Palmela, vão ter nesta próxima edição, um dia dedicado à musica, no sábado, em colaboração com o Museu da Música Mecânica. A iniciativa está integrada no processo de candidatura de Palmela à Rede de Cidades Criativas da UNESCO – “Palmela é Música”.

- Pub -

 

O programa de sábado arranca, pelas 10h00, com a Oficina de palhões e afinação de Gaita de Foles, assegurada por Victor Félix e Mário Estanislau, da Oficina Sons da Música. A actividade decorre no Museu da Música Mecânica, da parte da manhã, entre as 10h00 e as 12h30 e, da parte da tarde, das 14h00 às 16h30. A participação na iniciativa é gratuita, mas requer prévia inscrição, tendo um limite mínimo de oito pessoas e um máximo de doze.

 

Por sua vez, pelas 17h00, o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC) apresenta o concerto “O Canto dos Dias”. Segundo o GEFAC, “o alinhamento deste concerto procura trazer ao presente as melodias, ritmos e palavras cantadas que marcaram o tempo quotidiano de comunidades rurais portuguesas de diferentes geografias”. Os figurinos ficam ao encargo de Filipa Malva. O concerto é limitado a 70 pessoas, sendo necessário a marcação de lugar.

 

Município de Palmela cria parcerias

 

De forma a incentivar a população para o “mundo” da música, a Câmara Municipal de Palmela, com o apoio do Museu da Música Mecânica, organizou algumas actividades com este propósito.

 

A exposição “Paisagem Sonora: a Gaita de Fole” encontra-se a decorrer até ao dia 2 de Outubro, na Sala Edison do Museu da Música Mecânica. A mostra que pretende dar a conhecer a gaita-de-foles enquanto instrumento musical tem entrada livre e conta com a participação da Orquestra de Foles e da Associação Portuguesa para o Estudo.

 

Candidatura de Palmela a Cidade Criativa aceite pela Unesco

Decisão final será conhecida em Novembro

A candidatura de Palmela a Cidade da Música foi aceite e será submetida a avaliação, com a apresentação da decisão final em Novembro.

A Câmara palmelense apostou nesta candidatura, explicando que a decisão que “visa projectar o potencial criativo de Palmela” está assente no “legado histórico passado entre gerações, e trabalhar a música como um dos elementos estratégicos para o desenvolvimento sustentável do território”.

Para a autarquia “a candidatura à Rede das Cidades Criativas da UNESCO é, também, o culminar de um trabalho de investigação que envolveu pesquisas documentais, registos fonográficos e a recolha de mais de uma centena de testemunhos de músicos, dirigentes associativos e de outras personalidades associadas à área da música”.

Comentários

- Pub -