Riscadinha foi Rainha no castelo

37
visualizações

Os oito produtores que participaram no 1º Mercado da Riscadinha esgotaram as frutas, pão e doces, com a enorme invasão de visitantes

 

- Pub -

Os visitantes invadiram a Praça de Armas do Castelo de Palmela e esgotaram os produtos do 1º Mercado da Riscadinha.

O presidente Álvaro Amaro, destacou “o sucesso do evento que tem na Paula Castro a grande dinamizadora” e prometeu que “no próximo ano temos que apostar ainda mais na dinamização deste produto com a marca Palmela quando a riscadinha está no auge, porque a par do moscatel é isto que os turistas procuram”.

O 1º Mercado da Riscadinha foi organizado por Paula Castro, que veio do concelho de Oeiras para se instalar numa quinta na freguesia do Poceirão onde apostou na maça riscadinha e outras frutas da região.

A produtora agrícola confessou “uma enorme satisfação porque oito produtores acreditaram no sucesso da iniciativa que ultrapassou todas as nossas expetativas”. Paula Castro explica “escolhi o castelo, monumento nacional de referência de Palmela, para receber a Maça Riscadinha como Rainha do evento e acho que foi uma aposta ganha e se traduziu num enorme sucesso”.

Na inauguração participou Manuel Meireles, da Direção Regional de Agricultura que confessou “venho também em representação do secretário de Estado e confesso que não esperava a vinda de tanta gente”.

Para o dirigente “os produtores agrícolas merecem todo o apoio e a Riscadinha é uma marca de excelência deste concelho”.

Também a vereadora do MIM, Palmira Hortense, participou na inauguração do evento confessando que “a iniciativa de Paula Castro foi um sucesso e é preciso continuar e alargar o Mercado a outros produtos”.

Mas se a maça riscadinha foi a Rainha, também o pão tradicional e de maça riscadinha dos Moinhos Vivos foi o rei, que esgotou várias vezes com os participantes a revelarem “nunca pensámos que viesse tanta gente e esgotámos tendo que fabricar mais e mais pão”.

No evento marcaram também presença os criadores da cerveja artesanal “A Sadina”, os licores, os doces, os queijos e os moscatéis.

Comentários

- Pub -