SIM a caminho do século de existência

65
visualizações

Sociedade de Instrução Musical comemorou 98 anos com muita vitalidade

 

- Pub -

 

A Sociedade Instrução Musical (SIM) da Quinta do Anjo festejou 98 anos de existência e está plena de pujança.

O presidente da Assembleia Geral, Francisco Xavier, apontou como “uma obrigação continuarmos a desenvolver todos os esforços para que esta sociedade continue”, pois “não podemos esquecer que as colectividades são reflexo do trabalho das pessoas que servem estas instituições”. E fez questão de “dar uma palavra especial a esta direcção que tem sabido agitar a comunidade da Quinta do Anjo” e aconselhou a que “comecem a fazer os preparativos para as comemorações dos 100 anos”.

O jovem presidente da SIM, Renato Batista, destacou a “presença de muitos presidentes que passaram por esta casa, o que nos enche de orgulho” e destacou dois dos músicos da banda que “foram brindados com os dois primeiros novos cartões de associados” entregues a Isidoro Matos, que foi recentemente homenageado com a medalha de mérito do concelho e a Xavier Ferreira, que realizou na noite de aniversário o primeiro concerto oficial na banda.

Falar do presente e do futuro

O presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, António Mestre, considerou que “melhor que ninguém os dirigentes e músicos podem falar do passado da colectividade, mas vou falar do presente e do futuro”. E destacou “dá-me uma alegria imensa ver que nestes 98 anos esta casa está cheia de representantes associativos todos unidos” e “uma banda cheia de gente jovem e dentro de dois anos seremos a primeira colectividade da freguesia a fazer 100 anos”.

Dirigentes fazem parte da toponímia do concelho

O presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, lembrou os dirigentes falecidos que “já fazem parte da toponímia do concelho”, mas “há ainda muitos que fazem parte do ADN desta terra” e “estão aqui presentes nesta sala as principais forças vivas, agentes associativos, colectividades e instituições”.

O edil palmelense garantiu que “esta terra tem um património valioso de vivença e felicidade deste território, com uma banda recheada de jovens que contribuem para dar alma a esta terra”.

Antes de se cantarem os parabéns, o presidente da câmara e o vereador da Cultura, Luís Calha entregaram uma prenda simbolizada pelo Sobreiro Assobiador.

Comentários

- Pub -